Últimas Notícias > Notícias > Brasil > Brasil chega em Porto Alegre para quartas de final da Copa América

Dilma externou perplexidade ao saber da prisão de Temer

Michel Temer assumiu o governo em 2016, após o impeachment da então presidente Dilma Rousseff. (Foto: Agência Brasil)

A ex-presidente Dilma Rousseff ficou perplexa com a notícia de que o ex-presidente Michel Temer havia sido preso. Sem entender o motivo, perguntou se havia “algum fato novo” que justificasse a medida, segundo informações da coluna Painel, do jornal Folha de S.Paulo.

A quem visitou Lula na quinta-feira (21) na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba, o ex-presidente afirmou que a prisão de Michel Temer teve como objetivo “restabelecer o projeto de poder da Lava-Jato”.

A avaliação do petista é a de que, golpeada pelas recentes decisões do Supremo Tribunal Federal, a Operação Lava-Jato quis dar uma demonstração pública de força. Ele considerou a prisão de Temer um ato “fora da lei”.

Em sua conta no Twitter, Lula escreveu na quinta-feira: “Instituições poderosas como o MP e a PF não podem ficar fazendo espetáculo. Todo aquele que cometer um crime, se o crime for provado, tem que ser punido. Seja o Temer, ou o Lula. Seja o FHC ou o Bolsonaro. Ninguém pode ser preso sem o devido processo legal.”

Para políticos e magistrados, a prisão de Michel Temer esgarçou ainda mais o tecido institucional do país. A decretação do encarceramento preventivo – sem julgamento, portanto – sinalizaria não só um ataque à “velha política” como também um chamado a novo embate entre cortes superiores e Lava Jato. Amigos do emedebista duvidam da capacidade emocional do ex-presidente de resistir ao processo. Litúrgico, ele não teria estofo para lidar com a detenção e o cerco a familiares, como a filha.

A prisão de Moreira Franco, o ex-ministro de Temer que é casado com a sogra do presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), formou rápido e sólido cordão de solidariedade em torno do democrata.

Aliados de Maia demonstraram profunda irritação com a reação de bolsonaristas nas redes, decretaram o fim da reforma da Previdência, prometeram retomar o projeto que pune o abuso de autoridade e adiaram a saída de Brasília.

Postagem feita por Carlos Bolsonaro após a prisão de Temer e Moreira foi vista como uma afronta ao presidente da Câmara. Ministros foram avisados de que o estrago havia sido grande e houve cobrança para uma intervenção definitiva de Jair Bolsonaro sobre os filhos.

A líder do governo no Congresso, Joice Hasselmann (PSL-SP), foi alvo da bancada do MDB. Ela fez postagens comemorando a detenção de Temer. O ex-presidente não é respeitado apenas no próprio partido, mas também por muitos dirigentes do centrão.

Marcela Temer estava em casa quando investigadores iniciaram a operação de busca e apreensão na residência do emedebista. Inicialmente nervosa, adotou atitude colaborativa em seguida.

As mídias coletadas na casa do ex-presidente ainda não foram analisadas e não houve apreensão de dinheiro. Armas antigas, com aparência de artigo de colecionador, estão com a PF, que quer saber se são elas são registradas.

No início da semana, Temer disse a aliados que se via “fora do foco” da Justiça porque havia se afastado da política.

Deixe seu comentário: