Últimas Notícias > Notícias > A segurança pública e a violência escolar estão em debate na Câmara de Vereadores de Porto Alegre

Em nota, comandantes afirmam que “31 de março interrompeu escalada em direção ao totalitarismo”

Ministro afirmou que os gastos do Brasil com a Defesa deveriam subir para 2% do PIB. (Foto: Agência Brasil)

O Ministério da Defesa tirou nota oficial ontem, subscrita pelos três comandantes militares (Fernando Azevedo e Silva, da Defesa; Edson Leal Pujol, do Exército; Antonio Bermudez, da Aeronáutica e Ilques Barbosa Junior, da Marinha) para lembrar que “31 de março de 1964 estava inserido no ambiente da Guerra Fria, que se refletia pelo mundo e penetrava no País.

As famílias no Brasil estavam alarmadas e colocaram-se em marcha. Diante de um cenário de graves convulsões, foi interrompida a escalada em direção ao totalitarismo. As Forças Armadas, atendendo ao clamor da ampla maioria da população e da imprensa brasileira, assumiram o papel de estabilização daquele processo.”

A Lei da Anistia

A nota dos comandantes militares observa lembra ainda,a edição da Lei da Anistia: “Em 1979, um pacto de pacificação foi configurado na Lei da Anistia e viabilizou a transição para uma democracia que se estabeleceu definitiva e enriquecida com os aprendizados daqueles tempos difíceis. As lições aprendidas com a História foram transformadas em ensinamentos para as novas gerações. Como todo processo histórico, o período que se seguiu experimentou avanços.”

Militares “agiram conforme os anseios da nação”

Cinquenta e cinco anos passados, a Marinha, o Exército e a Aeronáutica reconhecem o papel desempenhado por aqueles que, ao se depararem com os desafios próprios da época, agiram conforme os anseios da Nação Brasileira. Mais que isso, reafirmam o compromisso com a liberdade e a democracia, pelas quais têm lutado ao longo da História.”

Nota diz o óbvio: foi uma guerra

A nota do Ministério da Defesa, subscrita pelos comandantes militares, traduz o óbvio: a participação das Forças Armadas deu-se como contraponto a um movimento que buscava a ditadura do totalitarismo. Uma guerra onde militares enfrentaram terroristas em ações que iam desde assaltos a bancos, sequestros, até enfrentamentos diretos com baixas de ambos os lados. Uma guerra,vencida pelas Forças Armadas,que culminou com a Lei da Anistia em 1979 beneficiando vencidos e vencedores.

Haddad condenado no TSE

O ex-prefeito de São Paulo e candidato do PT à Presidência da República em 2018, Fernando Haddad e a coligação “O Povo Feliz de Novo”, foram condenados ontem pelo ministro Edson Fachin , do Tribunal Superior Eleitoral, a pagar multa de R$ 176,5 mil. A decisão foi tomada em processo no qual o presidente Jair Bolsonaro acusou o rival na disputa de impulsionar – pagar para promoção na internet – propaganda negativa e fake news contra sua candidatura.

Médico faltou? chama a polícia!

O prefeito de Imbé, Pierre Emerim resolveu conferir ontem pessoalmente, a denúncia de que um médico plantonista não se encontrava no local de trabalho, no centro de saúde do centro do município. Chegando ao local, o prefeito confirmou a ausência do médico, e chamou a polícia. Agora, configurada a falta – que segundo o prefeito tem sido recorrente – o médico poderá ser demitido.

Deixe seu comentário: