Últimas Notícias > Colunistas > De olho nas manifestações do dia 30, STF decide manter Lula preso

Governadores firmes no apoio à reforma da Previdência

Governadores se reuniram para sanar dívidas estaduais. (Foto: EBC)
Os governadores de 20 Estados estiveram ontem com o ministro da Economia, Paulo Guedes, em Brasília, renovando apoio para a aprovação da reforma da Previdência. Os números são conhecidos dos governadores, que vivem realidade igual ou pior que que a União: hoje, o sistema previdenciário ocupa 60% da receita da União, percentual que pode chegar a 80% em breve, se nada for feito. O governador gaúcho Eduardo Leite alinhou-se a essa posição.
Recursos do Pré-Sal
O ministro Paulo Guedes reiterou que o governo vai mesmo transferir parte dos R$ 17 bilhões do Fundo Social, que é abastecido com recursos do pré-sal, para Estados e municípios a partir de 2020. O fundo foi criado em 2010 como uma poupança do governo, para ser utilizada quando a torneira do dinheiro vindo do petróleo começasse a reduzir.
As mudanças no legislativo e no governo
A saída de Rodrigo Lorenzoni (DEM) para assumir uma cadeira na Assembleia Legislativa abre a vaga de Secretário de Articulação com os Municípios para Marcus Vinicius de Almeida, primeiro suplente do PP. Lorenzoni só assume na Assembleia porque o deputado Ruy Irigaray, do PSL pediu licença, para ser empossado nesta quarta-feira como secretário estadual do Desenvolvimento Econômico e Turismo.
PTB não cedeu
Toda essa movimentação ocorre à margem de uma outra situação inusitada: o PTB descumpriu um acordo firmado com o governador, pelo qual a vaga de Secretário do Desenvolvimento Econômico e Turismo seria ocupada por um deputado da sua bancada para abrir vaga ao suplente do PP, Marcus Vinicius. Seria a contrapartida à indicação pelo PP, do deputado federal Covatti Filho para a Secretaria da Agricultura, o que permitiu ao suplente do PTB, Ronaldo Santini, assumir uma cadeira de deputado federal.
Burocracia trava recursos da segurança
Mesmo tendo sido assinada há quase quatro meses, a lei que permite a empresas destinar parte do ICMS (Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços) para aplicação na área da segurança, ainda não pode ser aplicada. Para valer, a lei gaúcha ainda precisa passar pelo Confaz, o Conselho Nacional de Política Fazendária, formado pelos Secretários da Fazenda de todo o País.
Monica recebe aliado de peso
Apoiadora da Frente Parlamentar das Escolas Cívico-Militares criada na Assembleia Legislativa pelo deputado estadual Tenente-Coronel Zucco (PSL), a vereadora Monica Leal, presidente da Câmara de Porto Alegre, quer fazer um trabalho semelhante. Esta semana, ela recebeu o apoio do general Luiz Carlos Padilha, ex-comandante do Colégio Militar e atual assessor do Comando Militar do Sul, que se dispõe a fornecer dados e informações para subsidiar a proposta de Monica Leal no Legislativo da Capital.

Deixe seu comentário: