Últimas Notícias > Capa – Caderno 1 > Campeonato mundial com mais de 80 atletas em Porto Alegre

Saiba quem eram os brasileiros mortos no Chile por suposto vazamento de gás

Adriane Padilha Kruger e Jonathas Muniz dias antes do acidente. (Foto: Reprodução/ Facebook)

Foi confirmada a morte de seis brasileiros — quatro adultos e dois adolescentes — em Santiago, no Chile, na noite desta quarta-feira (22). A família de Santa Catarina havia viajado ao país para comemorar o aniversário de 15 anos da filha. De acordo com as autoridades, falhas na instalação de equipamentos de aquecimento do imóvel em que estavam causaram a morte dos brasileiros. Os turistas estavam em Santiago de férias, hospedados em apartamento alugado pelo aplicativo Airbnb.

Fabiano de Souza e Débora Muniz Nascimento de Souza eram casados e pais de Karoliny Nascimento de Souza, a aniversariante, e Felipe Ailton Nascimento de Souza. Os quatro moravam em Biguaçu, na Grande Florianópolis. O outro casal era composto por Jonathas Muniz e Adriane Padilha Kruger. Os dois viviam em Hortolândia, interior de São Paulo, e Jonathas era irmão de Débora.

Felipe, Débora, Fabiano e Caroline foram encontrados já sem vida em apartamento no Chile. (Foto: Reprodução/ Facebook)

Fabiano tinha 41 anos e aparece em foto postada por Débora, 38, ao lado da família, no mês passado. Na legenda: “Família, amor, gratidão”. Karoliny, filha deles, completaria 15 anos nesta semana. Já o irmão, Felipe, tinha 13 anos. O irmão de Débora, Jonathas, de 30 anos, era técnico em Segurança do Trabalho e sua mulher, Adriane Kruger, era engenheira e goiana.

A menina aniversariante compartilhou os últimos momentos de vida no Instagram, com fotos de paisagens de pontos turísticos nos stories.

Na Foto Karoliny Souza, três dias antes de falecer. (Foto: Reprodução Instagram)

 

Como aconteceu

Segundo o Itaramaty, a família dos turistas haveria recebido telefonemas em que os parentes diziam coisas desconexas e sem sentido. Assustados, entraram em contato com a polícia brasileira, que acionou o consulado brasileiro no Chile e enviou um representante ao apartamento. O diplomata chegou ao local, no centro de Santiago, acompanhado da polícia, que teve que forçar a entrada no imóvel, já que ninguém respondeu à campainha. As janelas do apartamento estavam todas fechadas e os seis foram encontrados já sem vida. Depois, feitas as medições no apartamento, foi descoberta alta concentração de monóxido de carbono, gás sem cheiro e cuja inalação provoca morte.

Família

Na madrugada desta quarta (22), antes do acidente, a mãe de Jonathas e Débora, Isabel Muniz, havia falecido em Florianópolis. Foi durante a ligação para dar a notícia que Débora relatou que alguns integrantes da família estavam com sintomas “estranhos”. Essa chamada foi o que motivou que a família das vítimas contatasse as autoridades.

Isabel era mãe de Débora e Jonathas. (Foto: Reprodução/ Facebook)