Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Fair

Brasil Aumenta número de brasileiros barrados em fronteiras da União Europeia

Compartilhe esta notícia:

Aumento se deve mais a um crescimento em termos absolutos no Reino Unido e Portugal. (Foto: Reprodução/Pixabay)

Entre 2017 e 2018, o número de brasileiros barrados em fronteiras de países da União Europeia aumentou em 42% (de 4.680, em 2017, a 6.615, em 2018), segundo a Eurostat, que produz estatísticas para o bloco de países. A cifra, que considera fronteiras aéreas, terrestres e marítimas, vem aumentando desde 2014, quando 2.500 brasileiros foram barrados. Entretanto, o aumento se deve mais a um crescimento em termos absolutos em dois países, Reino Unido e Portugal, onde o número aumentou de forma significativa.

Por que as pessoas são barradas?

Em geral, turistas têm a entrada barrada na União Europeia quando não têm passagem de volta, dinheiro suficiente para ficar no país durante o período, comprovante de hospedagem, passaporte válido por no mínimo três meses ou comprovante de trabalho ou renda no Brasil. A suposição dos agentes da imigração britânica é de que essas pessoas não pretendem fazer turismo, mas, sim, viver no país de forma ilegal. Porém, nem sempre é o caso. Há pessoas que de fato viajam a turismo, mas sem os documentos exigidos – ou são impedidos de entrar por outros motivos.

No Reino Unido, a quantidade de brasileiros barrados em quatro anos dobrou: de 875 em 2014, para 1.871 em 2018, conforme dados do governo britânico. Entre 2017 e 2018, teve um aumento de 35% – de 1.384 para 1.871 brasileiros impedidos de entrar. Em Portugal, isso foi ainda mais acentuado: o número dobrou em um ano, segundo a Eurostat. Em 2017, 1.335 pessoas foram impedidas de entrar. Em 2018, 2.865.

Também houve aumento de brasileiros barrados em outros países do continente, mas os números são menores: Alemanha (dobrou, de 70 para 140 pessoas), Irlanda (mais que triplicou, de 170 a 525) e França (aumentou 70%, de 420 a 730) foram alguns destes. Na Espanha, houve queda (de 445 a 295).

O número de pessoas de todas as nacionalidades rejeitadas pelos países europeus aumentou de forma geral, mas em proporção menor: 7,2% de 2017 a 2018. Especialistas atribuem esse aumento a dois fatores: mis brasileiros querendo deixar o país para viver ainda que ilegalmente no exterior, além de uma restrição maior nas fronteiras europeias.

Os números de brasileiros barrados na Europa coincidem com os dados da Receita Federal, que mostram crescimento no número de pessoas indo morar no exterior. Houve aumento de quase 100% nas declarações de saída definitiva do país: de 12.451 pessoas em 2014 para 22.538 em 2018. Mas o total pode ser maior, já que nem todos que deixam o Brasil fazem a declaração. O Ministério das Relações Exteriores estima que, atualmente, haja quase 3,6 milhões de brasileiros vivendo em outros países. Eram 2,8 milhões em 2013.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Após nove anos, estado encerra primeiro semestre com número de homicídios abaixo de mil 
Lendas urbanas de Porto Alegre são o tema do projeto Viva o Centro a Pé deste sábado
Deixe seu comentário
Pode te interessar