Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política Bolsonaro ataca Anvisa por propor passaporte de vacina de estrangeiros dizendo: “De novo, vai começar esse negócio?”

Compartilhe esta notícia:

De acordo com Bolsonaro, "pelo que tudo indica" a pandemia está chegando ao final. (Foto: Clauber Cleber Caetano/PR)

O presidente Jair Bolsonaro criticou nesta terça-feira (7) a proposta da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) de exigir a vacinação contra a covid-19 para a entrada no Brasil. Bolsonaro questionou se “de novo, vai começar esse negócio”.

Bolsonaro afirmou que a Anvisa quer “fechar o espaço aéreo”, o que não é verdade: a agência apenas recomendou a exigência de apresentação de um comprovante de imunização para quem quiser entrar no País.

O presidente também minimizou a variante Ômicron, classificada como de preocupação pela Organização Mundial de Saúde (OMS), dizendo que “vai ter um montão de variante” e que é preciso “enfrentar” a doença, sem explicar o que isso significa.

“Estamos trabalhando agora com a Anvisa, que quer fechar o espaço aéreo (para não vacinados). De novo, porra? De novo, vai começar esse negócio? ‘Ah, Ômicron…’. Vai ter um montão de vírus pela frente, um montão de variante pela frente. Talvez, peça a Deus que esteja errado. Mas temos que enfrentar “, disse Bolsonaro, durante evento promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Desde o início da pandemia de covid-19, no ano passado, Bolsonaro minimizou os riscos da doença, que já matou mais de 615 mil brasileiros.

No dia 12 de novembro, a Anvisa enviou à Casa Civil duas notas técnicas, recomendando a exigência de vacinação para a entrada no país. Desde então, não houve decisão.

A definição sobre se haverá ou não a exigência será realizada pela Casa Civil e pelos ministérios da Saúde, da Justiça e da Infraestrutura. A Anvisa tem um papel apenas de assessoramento.

De acordo com Bolsonaro, “pelo que tudo indica” a pandemia está chegando ao final, devido à vacina e à “imunidade de rebanho”.

“Pelo que tudo indica, tem a vacina que está aí, tem a imunidade de rebanho que está aí, estamos chegando ao final dessa pandemia. Peço a Deus que estamos todos certos nesse momento.”

Ajuda

O Palácio do Planalto procurou a Anvisa, após o pronunciamento desta terça-feira (7) dos ministros Marcelo Queiroga (Saúde) e Ciro Nogueira (Casa Civil), para pedir ajuda na formulação da nova portaria que vai normatizar a entrada de viajantes no Brasil.

O governo indicou a intenção de “se adequar” às regras que há mais de um mês vêm sendo recomendadas pela agência reguladora.

No pronunciamento, Queiroga informou que o governo pedirá quarentena de cinco dias para viajantes não vacinados que pretendam ingressar no Brasil.

Diretores do órgão consideraram que o anúncio do governo foi positivo, apesar do “sinal trocado” no discurso sobre liberdades feito, em especial, pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga — nesta terça, o presidente classificou como “coleira” o chamado passaporte de vacinação.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Por Auxílio Brasil, Câmara dos Deputados e Senado decidem fazer promulgação parcial da PEC dos Precatórios
Justiça anula condenação do ex-presidente da Câmara Eduardo Cunha por fraudes no Fundo de Investimento do FGTS
Deixe seu comentário
Pode te interessar