Sexta-feira, 29 de Maio de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
11°
Fair

Brasil Brasil tem 4,3 milhões de idosos vivendo sozinhos

Compartilhe esta notícia:

No grupo de risco da Covid-19, pessoas com mais de 65 anos enfrentam dificuldades para seguir a rotina com isolamento social e contam com ajuda de familiares, vizinhos e amigos

Foto: Arquivo/Agência Brasil
No grupo de risco da Covid-19, pessoas com mais de 65 anos enfrentam dificuldades para seguir a rotina com isolamento social e contam com ajuda de familiares, vizinhos e amigos. (Foto: Arquivo/Agência Brasil)

Mais de 4 milhões de idosos vivem sozinhos no Brasil, segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística). Além de estarem no grupo de risco do novo coronavírus, essas pessoas enfrentam dificuldades para realizar tarefas cotidianas com as medidas que estão sendo adotadas para conter a propagação, como isolamento social, fechamento de comércio e serviços não essenciais e restrição de circulação.

Para superar essas dificuldades, alguns recorrem aos familiares, amigos e vizinhos. A idosa Maria José Ramos, de 73 anos, é mãe de três filhos e tem um neto. Ela mora sozinha há 10 anos desde que parte dos familiares foi morar na capital fluminense e um filho foi morar nos Estados Unidos. Quando a crise do coronavírus se agravou, os vizinhos do condomínio fizeram uma “rede de ajuda” para casos de necessidade.

Estados

O Rio de Janeiro e o Rio Grande do Sul têm o maior número de idosos vivendo sozinhos em relação à população total do Estado, de acordo com os dados do IBGE.

No Rio, há 544 mil pessoas com mais de 65 anos morando sozinhas, ou 3,2% da população. Entre os gaúchos, há 351 mil idosos vivendo sós, ou 3,1% da população. O Estado com menos idosos vivendo sozinhos é o Amapá, com 4,8 mil, ou 0,5% da população.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Presidente chinês diz a Donald Trump que a China e os EUA “devem unir-se contra a pandemia”
Câmara dos Deputados aprova dispensa de atestado médico para trabalhador infectado pelo novo coronavírus
Deixe seu comentário
Pode te interessar