Domingo, 24 de Janeiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
29°
Partly Cloudy

Rio Grande do Sul Por causa da baixa cobertura no Estado, a Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite foi prorrogada até 21 do mês que vem

Compartilhe esta notícia:

A campanha iniciou no dia 5 de outubro em todo o País

Foto: Anselmo Cunha/PMPA
A campanha iniciou no dia 5 de outubro em todo o País. (Foto: Anselmo Cunha/PMPA

Em consequência da baixa cobertura da Campanha Nacional de Vacinação Contra a Poliomielite e de Multivacinação no Rio Grande do Sul, a Secretaria Estadual da Saúde decidiu prorrogar o prazo para imunização até 21 de novembro.

Nesta data, também será realizado o segundo Dia D da mobilização, quando as unidades de saúde ficarão abertas durante o sábado para facilitar a vacinação. A campanha iniciou no dia 5 deste mês para imunizar crianças de 12 meses a menores de 5 anos com uma dose extra das gotinhas e atualizar a caderneta de crianças e adolescentes menores de 15 anos.

Até o início da tarde desta quinta-feira (29), o Rio Grande do Sul havia registrado a aplicação de 286.403 doses da vacina contra a poliomielite em crianças de até 5 anos, o que corresponde a 54,1% da faixa etária abrangida pela campanha. A marca está ainda longe da meta de imunizar 95% dessas crianças.

“Além de prorrogarmos a campanha, vamos reforçar com os secretários de Saúde dos municípios a importância de ampliarmos a cobertura vacinal para a proteção de nossas crianças”, afirmou a secretária da Saúde do RS, Arita Bergmann.

Apenas 98 municípios gaúchos (20% do total) atingiram a meta, o que é muito pouco, de acordo com a chefe da Divisão de Vigilância Epidemiológica do Centro Estadual de Vigilância em Saúde, Tani Ranieri.

Em Porto Alegre, foram aplicadas 23.218 doses contra a pólio até esta quinta-feira, uma cobertura de 35,7% do público-alvo. A meta é vacinar 61.784 crianças contra a doença na Capital.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Quase 11 mil candidatos que declararam patrimônio superior a R$ 300 mil receberam o auxílio emergencial
“Jamais esteve sob análise privatizar o SUS, seria uma insanidade falar isso”, diz o ministro da Economia
Deixe seu comentário
Pode te interessar