Quarta-feira, 17 de abril de 2024

Porto Alegre
Porto Alegre, BR
18°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Comportamento Como fazer com que seus filhos larguem o celular? Veja quatro dicas

Compartilhe esta notícia:

Nunca é tarde demais para uma reinicialização tecnológica da família. (Foto: Reprodução)

No ano passado, quando pesquisadores monitoraram os celulares de 200 voluntários com idades entre 11 e 17 anos, eles descobriram que os adolescentes não eram apenas zumbis sem noção da tela. Na verdade, eles usavam todos os tipos de estratégias para tentar se desconectar: alguns deixavam a opção “não perturbe” para silenciar as notificações intermináveis. Outros carregavam seus telefones fora de seus quartos para ajudá-los a dormir.

Acontece que os adolescentes também querem um tempo longe dos telefones e das redes sociais.

Se parece que todos na sua família estão passando muito tempo olhando para as telas em vez de olharem uns para os outros, você não está sozinho. As grandes corporações estão trabalhando contra todos nós para tornar as redes sociais, os jogos e os aplicativos cada vez mais difíceis de largar.

“Não há um declínio geracional na força de vontade”, disse o cirurgião geral americano Vivek H. Murthy, em uma entrevista recente. “As plataformas são projetadas especificamente para maximizar o tempo que passamos nelas.”

A boa notícia é que nunca é tarde demais para uma reinicialização tecnológica da família. Mas você não encontrará a solução apenas nos controles dos pais e nas restrições de tempo de tela. A abordagem mais eficaz é ouvir o que seus filhos dizem sobre suas experiências online e fazer do reequilíbrio um projeto para toda a família. Isso inclui que os pais também analisem com atenção seus próprios hábitos no celular.

A estratégia de quatro etapas, recomendada abaixo, é baseada em entrevistas com médicos, pais e pesquisadores que estudaram o que realmente acontece por trás das telas das crianças e viram o que realmente funciona para mudar o comportamento. Essa estratégia é voltada principalmente para famílias com adolescentes que já têm telefones ou outros dispositivos. (Quando dar a um filho seu primeiro telefone ou conta de rede social é uma conversa importante à parte).

– 1. Tenha uma conversa incômoda: Os pais nunca foram adolescentes na era do TikTok e da inteligência artificial (IA). Portanto, antes de começar a criar regras, é essencial averiguar os fatos.

Converse com seu filho sobre a vida online dele da mesma forma que você conversaria sobre a escola ou sobre atividades extracurriculares. Onde eles gostam de passar o tempo? Que necessidade um determinado aplicativo ou jogo atende? Que atividades do mundo real eles valorizam e como a tecnologia pode atrapalhar?

Para iniciar a conversa, convide uma reunião familiar informal. Diga ao seu filho adolescente que você quer saber a opinião dele sobre o uso da tecnologia pela família – o que está indo bem e onde ele poderia ajudar. Certifique-se de que você também está aberto a comentários sobre seu uso da tecnologia.

Ouça o que seus filhos já fazem por conta própria para controlar o tempo de tela. Uma boa pergunta: o que você faz quando realmente quer se concentrar em alguém ou em algo que lhe interessa?

Chame a atenção para o que os pesquisadores chamam de “tecnoferência”: os momentos em que a tecnologia interfere nos relacionamentos e na conexão humana real.

– 2. Realize alguns “experimentos” de tempo de tela: Agora você precisa de um plano de ação. No entanto, é importante ressaltar que ele não deve ser apenas regras impostas pelos pais. Em vez disso, pense nele como experimentos.

Em família, faça um brainstorming sobre algumas maneiras de recuperar o tempo e o foco dos dispositivos. Não há problema em fracassar.

O foco deve ser tanto a redução do tempo de tela quanto a substituição desse tempo por algo que você gostaria de ter mais, seja aventuras em família ou sono. “Não podemos simplesmente esperar que vamos reduzir o tempo de tela em uma hora e as coisas vão melhorar em nossa família”, diz Jenny Radesky, pediatra da Universidade de Michigan. “Então, você deixa esse vácuo de uma hora em que as crianças vão pensar: ‘estou entediado, não sei o que fazer’.”

– 3. Cheguem a um acordo sobre as regras – que os pais também precisam seguir: Quando encontrar alguns experimentos que funcionem, transforme-os em regras com as quais todos concordem.

Juntos, escrevam um plano técnico familiar. As crianças tendem a saber o que é certo e o que é errado, e você pode ajudá-las a preencher os espaços em branco.

Depois, você também precisa seguir as regras. “Os pais são os principais modelos para seus filhos quando se trata de tecnologia”, diz Jim Steyer, fundador da ONG Common Sense Media, que fez uma pesquisa sobre o assunto.

– 4. Revisem juntos as ferramentas de segurança: A maioria dos sites de rede social e de jogos vem com configurações de segurança e privacidade. E, embora elas não resolvam problemas sistêmicos de abuso e de amplificação de informações prejudiciais pela rede social, vale a pena fazer uma verificação regular.

Sempre que possível: Desative a possibilidade de pessoas de fora do círculo de amigos de seu filho adolescente enviarem mensagens diretas, mencionarem ou marcarem o adolescente. Torne os perfis privados para que seu filho tenha que aceitar novos amigos antes de se envolver. No TikTok e no Instagram, desative a opção “stitch” ou “remix” para que estranhos não possam impulsionar seus vídeos para novos públicos. As informações são do jornal The Washington Post.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Comportamento

A perigosa moda de funcionários gravarem demissão para postar no TikTok
Entenda por que beber leite de vaca é motivo de bullying nos Estados Unidos
https://www.osul.com.br/como-fazer-com-que-seus-filhos-larguem-o-celular-veja-quatro-dicas/ Como fazer com que seus filhos larguem o celular? Veja quatro dicas 2024-02-05
Deixe seu comentário
Pode te interessar