Quinta-feira, 22 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair / Wind

Rio Grande do Sul O governador gaúcho voltou a defender a retomada presencial das aulas

Compartilhe esta notícia:

Estudo analisa práticas usadas nos sistemas educacionais e economias com base nos resultados do Pisa 2018. (Foto: EBC)

Na tarde desta quinta-feira (24), em sua última “live” semanal, o governador gaúcho Eduardo Leite voltou a defender a necessidade de retomada das aulas presenciais nos colégios públicos e privados do Rio Grande do Sul, de forma gradual e escalonada. “Escolas fechadas não preservarão vidas”, declarou. O recado teve como alvo os prefeitos contrários à medida por temerem o contágio por coronavírus.

“Eu insisto para que os gestores municipais trabalhem nesse sentido, levando em consideração que escola significa um espaço capaz de proporcionar uma vida melhor”, prosseguiu. “Muitos dos defensores da educação como algo prioritário não querem a sua volta [presencial] neste momento, o que é uma incoerência. Com protocolos e distanciamento, a edução é uma necessidade, não apenas uma opção.”

Cabe ressaltar que cabe ao Palácio Piratini apenas a autorização para retomada das atividades do setor, sob diretrizes e protocolos sanitários, em regiões sob bandeira laranja (médio risco de covid) ou amarela (baixo risco, status no qual nenhuma área do mapa gaúcho está classificada atualmente). Mas são as prefeituras que dão a palavra final, conforme previsto por decreto estadual – em diversas cidades, já está definido que as aulas presenciais só serão retomadas no ano que vem.

Encerramento

Desde os primeiros casos de coronavírus no Estado, em março, até o dia 21 de maio, as transmissões ao vivo de Eduardo Leite eram realizadas diariamente, tendo como veículo as redes sociais e outros meios. Depois passaram ser duas por semana, até que em 27 de agosto ficaram reduzidas exclusivamente às quintas-feiras, salvo em situações especiais.

Esta quinta-feira marcou o fim das “lives” regulares sobre assuntos ligados ao coronavírus. As veiculações serão feitas somente em situações extraordinárias, quando for necessário anunciar e explicar alguma decisão relevante por parte do governo estadual.

“Estamos terminando com as lives semanais, mas, obviamente, a doença não está controlada, a Covid não acabou”, salientou o chefe do Executivo. “É muito importante que toda população gaúcha continue cumprindo os protocolos, mantendo ao máximo o distanciamento. Não estamos dizendo para ficarem em casa, mas que fiquem na medida do possível.”

Ainda segundo ele, o Gabinete de Crise segue ativo e continuará se reunindo para monitorar os indicadores e tomando as decisões sempre com base na ciência, com intuito de aperfeiçoar o modelo de Distanciamento Controlado: “Em casos de pandemia, o papel do poder público é proporcionar confiança, orientações e diretrizes em torno das quais os demais agentes possam se organizar de maneira complementar e colaborativa”.

Foram, no total, 84 lives sobre coronavírus, a grande maioria com a presença do governador, somando 60 horas, 23 minutos e 14 segundos de transmissões e mais de 18,2 milhões de visualizações no Facebook e no Youtube, e participação de jornalistas de todo o Estado com mais de 700 perguntas encaminhadas ao governador.

“Este processo de conversa e transparência foi fundamental para compartilhar as decisões difíceis que foram tomadas até aqui. As lives nos ajudaram a comunicar e conquistar a confiança da população para conseguirmos conviver da melhor maneira possível com uma doença desconhecida”, finalizou Leite.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Donos de bares e restaurantes em Porto Alegre querem abrir até a meia-noite e também aos domingos
Futebol: as diferentes formas de se acompanhar esse esporte nos dias atuais
Deixe seu comentário
Pode te interessar