Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

Brasil “Eu acredito na inocência dele”, disse a mulher do médium João de Deus

Compartilhe esta notícia:

Keyla com o marido João de Deus. (Foto: Reprodução/Instagram)

Ana Keyla Teixeira Lourenço, esposa do médium João de Deus, afirmou que acredita na inocência dele. O pedido de prisão do Ministério Público de Goiás contra o líder religioso acabara de ser apresentado, na quarta-feira, quando numa das ruas acanhadas de Abadiânia, a poucos minutos do fórum da cidade, Keyla, de aparentes 40 anos, distraía o dois filhos na frente do quintal de casa.

Em entrevista ao jornal O Globo, Keyla falou sobre o pedido de prisão do marido, negando sempre com veemência as acusações de abuso sexual apresentadas por centenas de mulheres contra João de Deus. Ela disse acreditar que tudo não passa de uma farsa, “um circo que montaram contra ele”.

“Eu acredito na inocência dele. Eu acho que é um grande circo que montaram contra ele, uma mentira. As pessoas que vêm aqui são pessoas com problemas. Elas têm problemas psicológicos. Todas resolveram dizer algo agora, mas sem fundamento. João é uma pessoa próxima, afetuosa. No momento certo a gente vai se pronunciar”, afirmou ao jornal.

A mulher do líder espiritual estava visivelmente abalada. Falava no telefone a todo instante, enquanto uma babá segurava as crianças. Uma das ligações recebidas foi do próprio João de Deus. Ela disse a ele que as crianças, que a essa altura gritavam “papai”, queriam vê-lo.

Keyla disse que o médium tem a confiança dela e de todos que trabalham com ele na cidade. Ao avaliar a onda de denúncias de abuso sexual que se ergueu contra o marido, ela disse que “não sabia como tudo iria terminar”, mas que “estaria do lado dele para tudo”.

“João de Deus ainda está vivo”, disse o médium a fiéis em Abadiânia

Numa área de oração interna da Casa Dom Inácio de Loyola, onde a imprensa não teve acesso, o médium João de Deus fez um breve comunicado aos fiéis que se encontravam presentes, na manhã de quarta-feira:

“Meus irmãos, queridas irmãs. Agradeço a Deus por estar aqui, mas quero cumprir a lei brasileira. Estou nas mãos da lei brasileira. João de Deus ainda está vivo. Que a paz de Deus esteja com todos”.

Logo após o médium deixar o centro, após ficar apenas alguns minutos no estabelecimento, a assessoria do líder espiritual explicou que que ele não iria dar atendimento naquele dia porque “passou mal (a pressão teria subido) e não quer afrontar a Justiça”.

Questionada sobre a possibilidade de alguma medida cautelar já ter sido tomada pela Justiça, impedindo o médium de prestar atendimento na casa, a assessora de João de Deus, Edna Gomes, disse apenas que não podia comentar sobre o assunto. Edna disse, porém, que o médium está “sereno e aberto à Justiça”.

“Hoje ele veio aqui porque queria fazer os trabalhos normais, mas não quis confrontar a Justiça. E passou mal, a pressão aumentou”, disse, sem informar para onde foi o médium após sua aparição relâmpago no Centro.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

O futuro governo articula medidas para evitar uma nova greve dos caminhoneiros
A Caixa Econômica Federal liberou o abono do PIS para quase 2 milhões de trabalhadores
Deixe seu comentário
Pode te interessar