Terça-feira, 27 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
16°
Light Rain

Política Governador afastado Wilson Witzel faz pedido ao presidente do Supremo para retornar ao cargo

Compartilhe esta notícia:

Wilson Witzel foi afastado do governo do Rio de Janeiro por 180 dias por decisão do Superior Tribunal de Justiça

Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil
Um episódio entre portas, com testemunhas, ilustra bem o calvário do governador afastado Wilson Witzel. (Foto: Fernando Frazão/Agência Brasil)

A defesa do governador afastado do Rio de Janeiro, Wilson Witzel (PSC), pediu ao presidente do STF (Supremo Tribunal Federal), ministro Dias Toffoli, o retorno dele ao cargo até que a decisão seja analisada pela corte. Witzel foi afastado em votação do STJ (Superior Tribunal de Justiça).

A defesa alega que até agora ele não foi ouvido ainda nessa fase da investigação e cita ainda que é “frágil” o argumento dado pelo ex-secretário de Saúde do Estado, Edmar Santos, em delação premiada, de que teria recebido de Witzel R$ 15 mil.

A defesa diz ainda que “não há nenhuma prova de que ele no mandato estaria atrapalhando as investigações” e quer que ele seja reconduzido ao cargo de governador. O PSC também pediu que o STF defina como deve ser o rito para o afastamento. O ministro Edson Fachin é o relator e decidiu levar a questão ao plenário, mas ainda não há data. Com isso, Toffoli é quem deve decidir sobre o pedido.

A comissão especial da Assembleia Legislativa do Rio, que analisa o processo de impeachment, tem até o próximo dia 15 para emitir um parecer. A defesa do governador afastado pediu para que 15 testemunhas sejam ouvidas, entre elas, cinco procuradores do Ministério Público Estadual e a subprocuradora Lindora Araújo, responsável pela denúncia.

Wilson Witzel foi afastado do governo do Rio de Janeiro por 180 dias por decisão do Superior Tribunal de Justiça, após pedido da Procuradoria-Geral da República na Operação Tris In Idem, que investiga irregularidades e desvios na saúde. Ele ainda enfrenta um processo de impeachment na Assembleia Legislativa (Alerj). O então vice-governador Cláudio Castro assumiu o comando do Estado.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Polícia de Hong Kong prende manifestantes durante protesto contra adiamento das eleições legislativas
Morre, aos 82 anos, Emídio Perondi, ex-deputado federal e ex-presidente da Federação Gaúcha de Futebol
Deixe seu comentário
Pode te interessar