Quinta-feira, 01 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Política Governo informa à Polícia Federal que Sérgio Moro não assinou a demissão do diretor-geral da corporação

Compartilhe esta notícia:

Moro (D) acusa Bolsonaro de interferência política na PF

Foto: Carolina Antunes/PR
Moro acusa Bolsonaro de interferência política na PF. (Foto: Carolina Antunes/Presidência da República)

Em ofício enviado à PF (Polícia Federal), a Secretaria-Geral da Presidência informou que o ex-ministro da Justiça Sérgio Moro não assinou o ato de exoneração do ex-diretor-geral da corporação Maurício Valeixo.

Quando a demissão de Valeixo foi publicada no Diário Oficial da União, no dia 24 de abril, os nomes de Moro e do presidente Jair Bolsonaro apareceram como responsáveis pelo ato.

Moro, que se demitiu no mesmo dia, disse que foi surpreendido pela exoneração e que não havia assinado o ato. Mais tarde, o Palácio do Planalto republicou a exoneração, sem a assinatura do ex-ministro.

À PF, a Secretaria-Geral explicou que publicar no Diário Oficial o nome do ministro responsável pelo órgão é “a praxe” do governo e que a assinatura física é colhida depois. O esclarecimento foi prestado dentro do inquérito que investiga a denúncia de Moro de que Bolsonaro queria interferir na corporação.

“Segundo a praxe administrativa, a publicação no Diário Oficial vem acompanhada da inclusão da referenda do ministro ou ministros que tenham relação com o ato”, explicou a Secretaria no ofício.

A Secretaria-Geral afirmou também que não houve “qualquer objetivo deliberado” em fazer parecer que o ato havia sido assinado por Moro. “Ao contrário, a área técnica apenas seguiu a praxe.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Técnico Vadão morre aos 63 anos
Já é possível conferir na internet a evolução diária dos preços dos combustíveis em cada município gaúcho
Deixe seu comentário
Pode te interessar