Sábado, 18 de setembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
15°
Fog

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Artes Visuais Inteligência artificial “pinta” partes cortadas de obra-prima de Rembrandt

Compartilhe esta notícia:

Quadro ‘A Ronda Noturna’ restaurado em suas dimensões originais. (Foto: Divulgação)

No início da década de 1710, uma das mais famosas obras-primas de Rembrandt van Rijn, A Ronda Noturna, precisou ser transferida da casa do clube da milícia civil de Amsterdã (grupo de oficiais retratado no quadro), na Holanda, para a prefeitura da cidade. Mas havia um problema: a parede do novo local era menor. A solução encontrada foi simples – e temerária: um recorte puro e simples em todos os lados, especialmente na borda esquerda do quadro. As partes extirpadas nunca mais foram recuperadas. O quadro, no entanto, já tinha 70 anos de existência e uma cópia menor da obra original, atribuída ao artista Gerrit Lundens, por sorte fora produzida antes da intervenção radical.

Agora, quase 310 anos depois, graças à inteligência artificial A Ronda Noturna recuperou as suas dimensões originais – e o público pode ver o resultado, ao lado do quadro célebre em si, no Rijksmuseum, em Amsterdã. Na versão recortada, os personagens principais, o capitão Frans Banninck Cocq e tenente Willem van Ruytenburch, ocupam o centro do quadro. Na versão original, com uma faixa de pintura adicionada na borda esquerda, os dois militares são deslocados para o lado e surgem dois homens e um menino olhando por uma balaustrada, criando uma nova dinâmica à pintura.

O processo de restauração do quadro durou quase dois anos e foram usados scanners de alta tecnologia, raios-X e fotografia digital, combinados com a cópia feita por Lundens. O próximo passo foi jogar todas essas informações em um programa de inteligência artificial, que removeu as distorções de perspectiva presentes na cópia e calibrou as cores de acordo com aquelas usadas por Rembrandt. É como se o computador tivesse feito escola de arte. Por fim, a imagem faltante foi impressa em uma tela envernizada e colocada em quatro armações de metal ao redor da pintura, sem tocá-la.

tags: Você Viu?

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Artes Visuais

Grandes nomes da arte e novos talentos em exposição na Galeria Duque
Grécia recupera pinturas de Picasso e Mondrian roubadas de galeria em 2012
Deixe seu comentário
Pode te interessar