Quinta-feira, 01 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Tecnologia Invasão ao WhatsApp: saiba se a alteração do PIN pode proteger a sua conta

Compartilhe esta notícia:

Os dados obtidos no momento da invasão podem ter sido guardados pelos invasores. (Foto: Reprodução)

Em caso de suspeita de fraude no Whatsapp, deve-se tomar três medidas para que o fraudador seja bloqueado da sua conta: tenha certeza de que seu celular está livre de programas espiões (redefina o seu aparelho para os padrões de fábrica, em caso de suspeita); Ative sua conta do WhatsApp no seu aparelho; Limpe as sessões do WhatsApp Web.

Lembre-se que dados obtidos no momento da invasão podem ter sido guardados pelos invasores. Porém, o acesso à conta do WhatsApp em si não dá acesso ao histórico de mensagens, apenas aos contatos e grupos. O hacker apenas terá suas mensagens se puder acessar sua conta Google ou ID Apple (com backups das mensagens), invadindo sua conta pelo WhatsApp Web ou instalando um aplicativo espião em seu celular.

O PIN do WhatsApp faz parte da autenticação em duas etapas que protege sua conta. Se você pode alterá-lo, é porque você já está com acesso à sua conta do WhatsApp em seu telefone, ou seja, os invasores já não têm mais acesso recorrente à sua conta. O WhatsApp só pode ser ativado em um aparelho por vez – então, se você está com ele ativado, ninguém mais está.

A alteração do PIN também não tem efeito sobre o WhatsApp Web. Para desconectar sessões abertas do WhatsApp Web, você precisa acessar a tela específica no aplicativo e usar o botão “Sair de todas as sessões” para desconectar todas as sessões abertas do WhatsApp Web.

Mas, se você teve sua conta invadida, não seria preciso alterar o PIN? Na verdade, o WhatsApp o obriga a fazer isso. Quando os invasores entram uma conta de WhatsApp, é muito comum que eles próprios adicionem ou alterem um PIN de acesso para impedir que você recupere sua conta. Isso obriga você a aguardar até que o próprio WhatsApp remova o PIN para conseguir ativar o WhatsApp, ou tentar a recuperação por e-mail, que também remove o PIN.

Para recuperar uma conta invadida – em que você não tem mais nenhum acesso ao seu WhatsApp –, você deve iniciar a ativação do WhatsApp e digitar o código recebido por SMS. Isso vai derrubar o acesso dos invasores, mas você não poderá completar o procedimento sem o PIN que eles configuraram.

Sua conta do WhatsApp ficará suspensa e inativa (todas as mensagens ficarão pendentes de entrega). Depois de 7 dias nessa condição, a conta poderá ser reativada sem o PIN.

Quando sua conta for reativada nessa circunstância, ela já estará sem o PIN. Sendo assim, você terá de configurar um novo PIN para reativar a autenticação em duas etapas.

Em resumo, alterar o PIN não vai bloquear nenhum invasor, porque sua conta já está com você. E, caso a conta não esteja com você porque alguém a invadiu, você terá que reconfigurar o PIN após recuperá-la (usando um PIN novo). Se houver um software espião no seu celular, nenhuma medida do WhatsApp (seja o PIN ou outra) terá efeito.

Mas afinal, existe algum cenário em que você precisa trocar o PIN? Até existe: se você cedeu seu PIN a um golpista ou alguém conseguiu descobrir o código por acaso, é uma boa prática trocá-lo, por precaução. Perceba, no entanto, que essa é uma medida preventiva.

Em diversas plataformas e serviços, a alteração da senha muitas vezes é acompanhada de uma “redefinição” das sessões, ou seja, todos os dispositivos logados são desconectados. Isso não existe no WhatsApp, já que apenas um celular pode estar ativado por vez e as demais sessões são autorizadas no recurso Web.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Tecnologia

O Google é processado nos EUA por monitorar navegação de usuários na internet. A ação pede 5 bilhões de dólares de indenização pela violação de privacidade
Vazamento mostra o layout do iPhone 13, que será lançado apenas em 2021
Deixe seu comentário
Pode te interessar