Quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

TV Já disponível no streaming, a série documental sobre Elize Matsunaga traz, pela primeira vez, depoimentos da mulher condenada pela morte do herdeiro da Yoki

Compartilhe esta notícia:

Ré confessa, Elize foi acusada e condenada pela morte do marido Marcos Matsunaga. (Foto: Reprodução)

Um crime que chocou o Brasil em 2012 voltou a ser pauta após a estreia da série documental “Elize Matsunaga: Era Uma Vez um Crime” na Netflix. A produção traz, pela primeira vez após o crime, o depoimento de Elize Matsunaga. Ré confessa, Elize foi acusada e condenada pela morte do marido Marcos Kitano Matsunaga, um dos herdeiros da empresa Yoki.

Além das falas de Elize, a série, dividida em quatro episódios de cerca de 50 minutos, também traz depoimentos de familiares e colegas do casal, além de especialistas que acompanharam as investigações – incluindo jornalistas, advogados de defesa e acusação e peritos criminais.

O ponto alto do documentário é, portanto, essa pluralidade de vozes falando sobre um caso que ganhou relevância pública. Nas redes sociais, por exemplo, cresce uma forte corrente em apoio a Elize, que teve seu passado revelado na produção. Mesmo levando em conta a atrocidade cometida por ela, os espectadores destacam a importância de se lançar um outro olhar sobre o caso.

Sucesso na plataforma de streaming, conheça 5 motivos para assistir “Elize Matsunaga: Era Uma Vez um Crime”

Ouvir o que Elize tem a dizer

Talvez esse seja o maior chamariz da série. Desde 2012, Elize não deu entrevistas e o que se soube por ela foi dito apenas em julgamentos. Na série, ela conta ao público, pela primeira vez, o que estava pensando momentos antes do crime e porque tomou a trágica decisão de esquartejar o marido.

Debate sobre machismo

Aspecto mais comentado nas redes sociais, o machismo no ‘Caso Yoki’ tem sido rechaçado pela opinião pública. Ao trazer depoimentos de amigos da vítima e de profissionais que trabalharam na cobertura do caso, a série mostra um outro lado pouco conhecido pelo público. Os internautas alegam que Elize foi vítima de machismo tanto no relacionamento com Marcos como durante todo o julgamento.

Bastidores

Principalmente em relação a Elize, o público pôde finalmente conhecer detalhes do caso. Mas não apenas isso. Com a série, o público acompanha os trabalhos da imprensa e da polícia desde o aparecimento de um corpo, até então desconhecido, em um matagal em São Paulo.

Disputa de versões

Essa é para os fãs de séries de tribunal. Na série documental, fica claro o trabalho feito pela defesa de Elize e pela acusação no que diz respeito às versões do crime. Os argumentos dos advogados, as provas e a escolha de cada palavra tem relevância na disputa entre os dois lados.

Bizarrices

Todo mundo julga, mas todo mundo gosta de ver realidades que fogem do padrão. A série, nesse sentido, mergulha na vida do casal Matsunaga e, consequentemente, nos hábitos nada tradicionais que os dois cultivavam. Isso incluía caça como hobby e cobras como animais de estimação.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de TV

Celular roubado? Saiba o que fazer para proteger seus dados pessoais
Ressurgimento do coronavírus em Wuhan faz moradores esvaziarem prateleiras em supermercados
Deixe seu comentário
Pode te interessar