Sábado, 29 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Fair

Colunistas Marcel evita que contribuinte gaúcho pague viagem de Jean Wyllys

Jean Wyllys (Foto: Sergio Lima/Folhapress)

A Assembleia Legislativa gaúcha, com enormes dificuldades para votar outros projetos, conseguiu aprovar com celeridade a proposta da deputada Manuela d’Ávila (PCdoB) que concede a Medalha do Mérito Farroupilha, maior distinção do Parlamento gaúcho, ao deputado federal Jean Wyllys, do PSOL.

Além do fato de ter participado de uma edição do BBB (o famigerado programa Big Brother Brasil) e de uma cusparada no deputado Jair Bolsonaro, do currículo do homenageado não consta qualquer ato relevante para o Rio Grande do Sul. Mas, poderia ter sido pior: a deputada.

Quase pagamos a conta

Manuela d’Ávila pretendia que o homenageado fosse considerado hóspede oficial do Estado, o que transferiria para o contribuinte gaúcho os gastos com passagens e hospedagem de Wyllys.

A posição forte do deputado Marcel Van Hatten (PP) foi decisiva para que Manuela recuasse, e retirasse o pedido. Van Hatten sustentou que “Independentemente do mérito da vinda de Jean Wyllys, com o qual também discordo, antes de se gastar com a vinda de um deputado federal, que inclusive tem à sua disposição recursos da Câmara dos Deputados, em Brasília, precisamos levar em consideração o caos financeiro por que passa o Estado do Rio Grande do Sul”.

Faltam só duas assinaturas para a CPI do Badesul

O pedido de uma Comissão Parlamentar de Inquérito para apurar a extensão dos prejuízos causados por uma quadrilha – dados da sindicância remetida à Procuradoria-Geral do Estado – ao Badesul, depende apenas de duas assinaturas na Assembléia gaúcho.

O deputado Enio Bacci (PDT), que já foi secretário da segurança pública, insiste na criação de uma CPI para investigar operações de crédito realizadas pelo Badesul durante o governo passado. Ele contabiliza até agora, 17 das 19 assinaturas necessárias para a instalação da comissão parlamentar de inquérito.

Selo digital teve aumento de 700%

Em meio a tantos debates importantes, pouca gente percebeu que o selo digital utilizado pelos cartórios, teve um aumento assombroso nos últimos anos. O deputado estadual Bombeiro Bianchini , do PPL, criticou o reajuste do selo digital, que incide sobre os serviços prestados pelos cartórios do Rio Grande do Sul.

Criado em 2006 por lei estadual, o selo teve, em dez anos, segundo o parlamentar, um reajuste de 700%. Só nos últimos dois anos, o valor foi reajustado em 220%, de acordo com o deputado. Bianchini defendeu que a Assembleia Legislativa busque junto ao Poder Judiciário informações sobre as razões do aumento, que ele considera exorbitante.

Presidente Edegar Pretto

A força política do nome do saudoso deputado Adão Pretto, fez com que este colunista trocasse ontem o nome do deputado Edegar Pretto, filho do Adão, e atual presidente da Assembleia Legislativa.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Correios vai demitir
O inesperado entra em cena
Deixe seu comentário
Pode te interessar