Sexta-feira, 25 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
18°
Fair

Mundo Mortes e casos de coronavírus crescem na Austrália e frustram a expectativa de estabilização

Compartilhe esta notícia:

Desde o início da pandemia, a Austrália registrou 26 mil casos e 663 óbitos por Covid-19. (Foto: Reprodução)

A Austrália registrou o dia com mais mortes da pandemia de coronavírus nesta quarta-feira (12) e o maior crescimento de casos em três dias, frustrando expectativas de que uma segunda onda no Estado de Vitória poderia estar se estabilizando.

Vitória relatou 21 mortes – duas a mais que os dias anteriores com mais fatalidades no começo desta semana – e 410 novos casos nas últimas 24 horas, encerrando uma sequência de três dias com novas infecções abaixo de 400.

Um bolsão de infecções em Melbourne, capital de Vitória e segunda maior cidade da Austrália, forçou as autoridades, semana passada, a impor um toque de recolher noturno, apertar as restrições à movimentação diária das pessoas e ordenar que grandes partes da economia estadual fossem fechadas.

O primeiro-ministro de Vitória, Daniel Andrews, disse que, embora a tendência dos números seja cair, o impacto das novas medidas rígidas de lockdown ainda não apareceu no número de casos.

“Todos sabemos que uma semana não é o ciclo da vida deste vírus… e nossos especialistas permanecem firmes na visão de que isso irá conduzir os números para baixo”, disse, a repórteres.

Apenas Vitória e o Estado mais populoso do país, Nova Gales do Sul, relataram novos casos de Covid-19 nesta quarta-feira, com um total de 428 infecções detectadas nas últimas 24 horas.

Autoridades em Nova Gales do Sul tentam rastrear as infecções relacionadas a um novo bolsão em uma escola de Sydney, o que gerou temores de uma transmissão comunitária mais ampla do que anteriormente na maior cidade do país.

A primeira-ministra de Nova Gales, Gladys Berejiklian, afirmou que os negócios podem sofrer restrições adicionais para evitar que novos bolsões se desenvolvam.

“Nós certamente demos um período de carência para empresas, organizações e diferentes estabelecimentos para que eles intensificassem seus planos de segurança contra a Covid e, se não fizerem isso, teremos que dar um passo adiante”, disse Berejiklian, em uma entrevista coletiva.

A Austrália relatou apenas 22,4 mil infecções e 361 mortes por causa do vírus, muito menos na taxa per capita do que muitas outras nações desenvolvidas.

Nova Zelândia

Os asilos de idosos foram confinados nesta quarta-feira (12) na Nova Zelândia em função de um surto da casos de Covid-19, anunciou a primeira-ministra Jacinda Ardern, que não descartou adiar as eleições gerais previstas para setembro no país.

“Tenho consciência até que ponto será difícil para aqueles que têm entes queridos nestes estabelecimentos, mas é a forma mais forte de protegê-los e cuidar deles”, explicou Ardern, que quer evitar que as casas de repouso dos idosos se tornem focos de contágios.

Na terça, a primeira-ministra ordenou a volta do confinamento por três dias na maior cidade da Nova Zelândia, Auckland, após o surgimento, pela primeira vez em 102 dias, de casos de coronavírus transmitidos localmente.

A chefe do governo, cuja eficiente política de luta contra a pandemia foi elogiada no mundo todo, anunciou a detecção de quatro casos da doença em uma família de Auckland, mas que a origem da infecção era desconhecida.

A Nova Zelândia, que registrou no total 22 óbitos e 1.579 casos na população de 5 milhões de habitantes, não confirmava um caso de transmissão dentro de seu território desde 1º de maio.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Mesmo com a ameaça de Donald Trump, o Brasil deve taxar o etanol americano no fim do mês
A Rússia diz que médicos serão vacinados contra o coronavírus em duas semanas e rejeita preocupações com segurança
Deixe seu comentário
Pode te interessar