Sábado, 17 de Abril de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Mostly Cloudy

Mundo Na Alemanha, Angela Merkel defende o lockdown após o país enfrentar uma terceira onda de coronavírus.

Compartilhe esta notícia:

A chanceler Angela Merkel vem assumindo uma posição dura em relação às restrições há meses. (Foto: Reprodução)

A chanceler alemã, Angela Merkel, é favorável à aplicação de um “confinamento corto e uniforme” em toda Alemanha, para frear o aumento dos contágios por covid-19, afirmou nesta quarta-feira (7) a porta-voz do governo.

“O sistema de saúde está submetido a uma pressão ameaçadora”, advertiu Ulrike Demmer em uma entrevista coletiva. “Por isto se justificam os pedidos de um confinamento curto e uniforme”, afirmou a porta-voz.

O número de pacientes em UTIs “aumentou 5% em um dia”, advertiu a porta-voz do governo.

A taxa de incidência de sete dias alcançou na quarta-feira 110,1 na Alemanha, com 9.677 casos registrados oficialmente e 298 mortes em 24 horas, segundo o Instituto Robert Koch de vigilância sanitária.

“Precisamos de uma incidência inferior a 100”, argumentou Demmer, antes de alertar que os dados atuais provavelmente são parciais devido ao fim de semana prolongado da Páscoa.

Um dos possíveis candidatos a suceder a chanceler, o líder do partido conservador CDU, Armin Laschet, defendeu nos últimos dias um confinamento de “duas ou três semanas” para reduzir a taxa de incidência até que a campanha de vacinação tenha efeito.

Mas ele não explicou as modalidades do eventual confinamento, especialmente no que diz respeito a possíveis novos fechamentos de escolas e creches.

Compra de vacina 

A Alemanha está prestes a iniciar negociações bilaterais com a Rússia para adquirir a vacina Sputnik V contra a covid-19, disse uma fonte à agência de notícias Reuters nesta quarta-feira (7), acrescentando que qualquer acordo final depende de a Rússia fornecer dados importantes sobre o imunizante à Agência Europeia de Medicamentos (EMA).

A Comissão Europeia disse aos ministros da Saúde dos Estados-membros da UE nesta quarta que Bruxelas não planeja iniciar negociações com a Rússia sobre um contrato preliminar para a Sputnik V como fez com outros fornecedores de vacinas, afirmou uma pessoa com conhecimento do assunto à Reuters, sob condição de anonimato.

É por isso que o ministro da Saúde alemão, Jens Spahn, anunciou durante a reunião virtual que a Alemanha iniciaria negociações preliminares com a Rússia sobre um acordo bilateral para garantir a vacina, acrescentou a fonte.

Nas negociações preliminares, a Alemanha quer primeiro determinar quais quantidades a Rússia pode entregar e quando, segundo a fonte.

De qualquer forma, a Alemanha só vai comprar a vacina russa depois de aprovada pela EMA, e para isso é fundamental que a Rússia forneça os dados necessários, acrescentou a fonte.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Um terço dos infectados pelo coronavírus sofre com problemas neurológicos ou psicológicos posteriormente à doença
A Argentina decreta toque de recolher para evitar nova quarentena
Deixe seu comentário
Pode te interessar