Quinta-feira, 09 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Fair

Mundo O ministro da Saúde da França negou o pedido da prefeita de Paris para reabrir os parques da cidade

Compartilhe esta notícia:

Pessoas em parque de Paris, na França. (Foto: Charles Platiau/Reuters)

O ministro da Saúde da França, Olivier Véran, disse nesta terça-feira (12) que parques e jardins permaneceriam fechados em Paris e na região metropolitana da capital francesa para limitar o risco de uma segunda onda de infecções por coronavírus, à medida que a França diminui gradualmente o confinamento em todo o país.

A reação de Véran ocorreu após a prefeita de Paris, Anne Hidalgo, pedir no Twitter a reabertura dos parques, fechados desde 17 de março, desde que as pessoas usassem máscaras.

O ministro fez a declaração depois que multidões de parisienses se reuniram às margens do moderno canal de Saint-Martin e do rio Sena na segunda-feira para comemorar o abrandamento da quarentena.

A polícia teve que dispersar as multidões, e o ministro do Interior, Christophe Castaner, mais tarde pediu à prefeitura que proibisse o consumo de bebidas no canal e nas margens do rio Sena.

Ainda não acabou. O vírus continua circulando… Em vista das imagens de ontem a que você se refere nas margens do rio Sena… pode-se entender, mas isso pode ser perigoso”, disse Véran a repórteres durante uma visita na região administrativa Ilha de França.

Não, não vamos reabrir os parques e jardins de Paris, da Ilha de França e de regiões classificadas como vermelhas, porque pode ser extremamente tentador, com o sol que temos hoje, para as pessoas se reagruparem amplamente e não respeitar o limite de 10 pessoas, bem como o distanciamento social.”

A França agora está dividida em “zonas verdes”, onde a taxa de infecção é baixa, e “zonas vermelhas”, incluindo a região da grande Paris, onde a taxa é mais alta e há mais restrições.

Mortos na França

O número de mortos pelo coronavírus na França aumentou em 348 para 26.991 nesta terça-feira, ultrapassando a marca da Espanha e fazendo o país ser detentor da quarta maior cifra de fatalidades depois de Estados Unidos, Reino Unido e Itália.

Dados oficiais mostram que o número de mortos por Covid-19 na França acompanhou de perto o número espanhol por várias semanas, com os dois países acima de 22 mil fatalidades desde 24 de abril e com a Espanha com menos de 100 mortes a mais que a França por vários dias desde semana passada.

Na terça-feira, o número de mortos por Covid-19 nos Estados Unidos chegou a 80.606, o Reino Unido tinha 32.065 mortes e a Itália 30.911. A Espanha segue a França com 26.920.

No segundo dia após afrouxar o rígido lockdown nacional no país, o governo do presidente francês, Emmanuel Macron, reiterou que está pronto para aumentar as restrições novamente se for necessário.

O coordenador de “desconfinamento”, Jean Castex, disse a parlamentares que as primeiras 36 horas de alívio nas restrições aconteceram como planejado, e que o maior desafio na manutenção do distanciamento social como bastião contra a transmissão do vírus é o transporte público em áreas densamente habitadas.

Precisamos considerar a possibilidade de reverter o final do lockdown. Se alguns indicadores deteriorarem, iremos enrijecer as medidas novamente, possivelmente de uma maneira regional”, disse Castex. As informações são da agência de notícias Reuters.

 

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Na China, mais de 100 milhões de estudantes já retornaram às salas de aula
A Alemanha começa a reabrir academias
Deixe seu comentário
Pode te interessar