Sábado, 05 de Dezembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Cloudy

Lenio Streck O paradoxo do mentiroso e as eleições!

Compartilhe esta notícia:

Caso aconteceu no interior do Paraná. (Foto: Antonio Augusto/Ascom/TSE)

Um cretense disse: todos os cretenses são mentirosos. Problema: se todos os cretenses são mentirosos e quem disse a frase é um cretense, temos um paradoxo. Bueno, paradoxos são coisas sobre as quais não se pode decidir e solucionar.

Afinal, se todos os cretenses mentem, o emissor da mensagem acabou de mentir. O contrário da mentira é a verdade. Logo, eis o paradoxo. Os cretenses então não são mentirosos? Todos?

A campanha política tem muito a ver com o “Liar Paradox”. Um candidato diz: Porto Alegre já foi governador por todos os partidos e nada fizeram. Ups: o emissor da frase passou por vários partidos e, além disso, ajudou a governar Porto Alegre. Vamos buscar auxílio na autopoiese, modo de interpretar os paradoxos… Ficou paradoxal…!

Ou vamos criar uma linguagem de segundo nível para salvar a propaganda do candidato. Ele diria: do conjunto dos enunciados aos quais eu me refiro, o meu (enunciado) não faz parte. Faria uma meta linguagem sobre uma linguagem objeto e resolveria o problema. Mas seria uma ficção. Mas seria sofisticado demais para o próprio candidato entender… se me entendem o selo LLS de Ironia Fina.

Cada coisa que se ouve… Um candidato diz que vai acabar com um imposto recém aprovado. Bueno, desde que a Câmara de Vereadores aprove, não é assim, caro Cretense II? O de cima era o cretense I.

Interessante também é que os candidatos, com raríssimas exceções, declinam o partido. Escondem o partido. Também, basta ver a mistura de siglas. Além disso, há poucos dias muitos candidatos eram de outra sigla. Avante: será que Podemos ser Patriotas sem que nos DEM Cidadania… dá para fazer um monte de frases esquisitas e bizarras com tantas siglas. Pior é que, se perguntarmos para cada candidato qual é o programa do partido, poucos saberão. O que é Patriotas? Os outros não são patriotas? Eu elegi o patriotas como o nome mais bizarro dos partidos. Se bem que o Pros (cadê os “contras”) também concorre nesse quesito. Mas, “podemos” mesmo pensar que… (o estagiário levanta a placa avisando que “podemos é também um partido”).

Mas, de Novo (ups): por qual razão o Maroni diz que quer ser prefeito para cuidar dos animais? Está bem. Aquele cachorro no colo dele é muito fofo, reconheço. Os defensores dos animais sabem do meu apoio à causa animal. Já escrevi sobre isso mais de uma vez. Mas porque raios o Maroni não diz também que quer cuidar das pessoas, das escolas, do transporte público… Isso me intriga. Uma cidade para os animais?

E as promessas impossíveis de cumprir? Por que não há uma auditoria nas promessas? Se for não factível, multa para o candidato.

Outra coisa: o candidato que diz que fez algo e a auditoria mostrar que foi outro, multa da grossa.

Ou o candidato assina um contrato – agora com o novo Código de processo civil podemos fazer um “negócio jurídico” – em que, se não fizer as creches diurnas e noturnas que está prometendo terá que pagar do seu bolso.

De todo modo, esperava mais da campanha. Parece mais uma tosa de porco: muito grito e pouca lã.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Lenio Streck

A campanha política abre uma caixa de pandora
Extra: nova Constituição criará a carreira de carrasco!
Deixe seu comentário
Pode te interessar