Sexta-feira, 21 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
20°
Fair

Acontece Philip Morris International está entre as 50 líderes globais na área de sustentabilidade e clima

Na semana em que líderes mundiais se encontram em Davos para discutir problemas globais, o meio ambiente complementa a pauta da empresa, que irá debater o case de transformação do seu negócio também pela ótica da sustentabilidade

Foto: Reprodução

A Philip Morris International (PMI) foi reconhecida como uma das 50 líderes globais em sustentabilidade dentro da comunidade empresarial internacional, em um projeto documental intitulado “50 Sustainability & Climate Leaders” (www.50climateleaders.com). A inclusão da empresa, juntamente com outras lideranças empresariais, destaca a forma como a PMI enxerga a ambiciosa transformação de seus negócios através da lente da sustentabilidade, ao gerenciar a transição e o impacto na sociedade e no meio ambiente.

“As empresas, tanto locais como globais, têm a responsabilidade de criar mudanças duradouras e significativas para garantir a sustentabilidade deste mundo”, diz Huub Savelkouls, CSO (Chief Sustainability Officer) da PMI. “Há três anos, a PMI assumiu um compromisso de um futuro sem cigarros – um futuro sem fumaça – e estamos transformando nossos negócios para cumprir essa meta o mais rápido possível. Nossa visão de construir um mundo sem cigarros, e o propósito da empresa, é criar um negócio que traga uma mudança social positiva e, portanto, seja muito mais sustentável.”

O projeto 50 Sustainability & Climate Leaders demonstra o desejo, a liderança e a vontade do setor privado de tomar medidas eficazes na luta contra as mudanças climáticas em seis áreas temáticas: transição energética, financiamento climático e preços do carbono, transição industrial, soluções baseadas na natureza, cidades e ações locais, e resiliência. A visão da empresa de um futuro sem fumaça se encaixa não só nesse desejo, como também apoia os Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da Organização das Nações Unidas (ONU). Para chegar a esse objetivo de forma mensurável e verificá vel, foi criado um conjunto de métricas de transformação: o Business Transformation Metrics.

Hoje, estima-se que 1,1 bilhões de homens e mulheres em todo o mundo fumem cigarros ou outros produtos derivados de tabaco. A ambição da PMI é que pelo menos 30% de seus clientes, que de outra forma continuariam a fumar, mudem para seus produtos sem fumaça até 2025. Com base nesse objetivo, a PMI projeta que, nesse mesmo período, pelo menos 40 milhões de fumantes de cigarros PMI terão mudado para esses produtos. Para a PMI, sustentabilidade significa criar valor a longo prazo, minimizando as externalidades negativas associadas aos seus produtos, operações e cadeia de valor.

A sustentabilidade praticada pela PMB no Brasil

A Philip Morris Brasil (PMB) atua em várias iniciativas sustentáveis no país. Para Guatimozin Santos, gerente de Relações Institucionais, o compromisso com a sustentabilidade é um caminho sem volta: “O setor privado desempenha um papel crucial em relação aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável, desenvolvendo soluções concretas e modelos de negócios sustentáveis, por meio da ciência, tecnologia e inovação. Dentro de nossa visão de um futuro livre de fumaça, sabemos que reduzir nosso impacto ambiental e gerir de forma sustentável os recursos limitados do planeta é fundamental para nosso crescimento de longo prazo”.

E exemplos para ilustrar esse compromisso, não faltam: em Santa Cruz do Sul (RS), a fábrica da PMB foi a primeira do Brasil e da América Latina a receber a certificação concedida pela Alliance for Water Stewardship (AWS), baseada em padrões internacionais para o uso sustentável da água. Desde 2010, o consumo de água no processo de manufatura da unidade foi reduzido em 39%, sendo 13% apenas no último ano. Vale ressaltar que uma das metas dos 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável da ONU, é assegurar a disponibilidade e gestão sustentável da água e saneamento para todos até 2030 (ODS 6).

Graças a uma outra parceria entre a Universidade de Santa Cruz do Sul (UNISC), o Comitê de Gerenciamento da Bacia Hidrográfica do Rio Pardo e o município de Vera Cruz (RS), o projeto “Protetor das Águas”, apoiado pela PMB, prevê a preservação dos recursos hídricos na região. Cerca de 60 pequenos agricultores são remunerados por seus serviços de proteção das nascentes e margens de rios localizados em suas propriedades rurais, no município de Vera Cruz. O resultado não poderia ser melhor: o volume de água que até então era considerado próprio para consumo saltou de um índice 43% para 90%, após a implementação do Projeto na região.

O programa de Boas Práticas Agrícolas (GAP) traz uma série de ações com o objetivo de auxiliar os agricultores e familiares a gerirem de forma sustentável suas propriedades, estimulando a preservação do meio ambiente, o aumento de produtividade e a diversificação de culturas. O programa aborda questões como a relação da agricultura com o meio ambiente, redução das emissões de carbono, preservação da água, conservação da biodiversidade e combate ao desmatamento. A iniciativa alcança mais de 5.000 produtores no Brasil.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Acontece

Mark+ de Pelotas renova contrato com FGF
Em 2020, a economia deverá ser puxada pelo consumo, pelos investimentos e pela melhoria do mercado imobiliário
Deixe seu comentário
Pode te interessar