Terça-feira, 13 de Abril de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
24°
Mostly Cloudy

Rio Grande do Sul Regime Optativo de Tributação da Substituição Tributária do RS tem novo prazo de adesão até 12 de fevereiro

Compartilhe esta notícia:

As mudanças na apuração do ICMS-ST estão sendo implementadas após decisão do STF.

Foto: Marcos Santos/USP Imagens
Os dados da Receita englobam impostos, contribuições e demais receitas federais. (Foto: Marcos Santos/USP Imagens)

A Receita Estadual anunciou, nesta sexta-feira (5), que abrirá novamente o prazo para adesão ao ROT- ST (Regime Optativo de Tributação da Substituição Tributária) que terá validade durante todo o ano de 2021. A adesão, que pode ser feita até 12 de fevereiro, garante a definitividade na cobrança do ICMS-ST (ICMS retido por Substituição Tributária), ou seja, não é exigida a complementação e nem permitida a restituição do imposto.

Empresas de qualquer faixa de faturamento anual, sujeitas ao ajuste da ST (Substituição Tributária), podem aderir ao ROT. Aquelas empresas que já optaram pelo regime em 2020 também devem manifestar interesse pela adesão, para que tenha validade durante este ano. Para fazer a adesão, as empresas precisam acessar o portal e-CAC, no site da Receita Estadual.

Até 15 de janeiro, 78% das empresas varejistas sujeitas ao ajuste da ST já haviam realizado a adesão. Empresas com faturamento abaixo de R$ 3,6 milhões por ano, optantes ou não do Simples Nacional, continuam fora da obrigatoriedade de realização do ajuste e, assim, não precisam aderir ao ROT-ST para a dispensa de tal apuração. Empresas com faturamento acima de R$ 3,6 milhões por ano que optarem por não aderir ao regime passam a realizar o ajuste, ou seja, de complementação ou restituição.

As mudanças na apuração do ICMS-ST estão sendo implementadas após decisão do STF (Supremo Tribunal Federal), de outubro de 2016, que abrange todos os Estados. A norma prevê a restituição ao contribuinte do ICMS-ST pago a maior – ou seja, quando a base de cálculo presumida do produto for superior ao preço final efetivamente praticado, mas também a complementação ao Estado do valor pago a menor – quando a base de cálculo presumida for inferior ao preço final.

tags: tributos

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Faixa reversível da João de Oliveira Remião, em Porto Alegre, volta a operar na próxima semana
Ministério premia empresas do agronegócio por boas práticas
Deixe seu comentário
Pode te interessar