Home > Notícias > Brasil > Saques do dinheiro das contas inativas do FGTS terminam na segunda-feira. Saiba quem terá o prazo prorrogado

Pessoas que buscam namoro e sexo na internet se tornam alvos de crimes

Maioria das pessoas não faz ideia de quem está do outro lado da tela e muitas acabam caindo em armadilhas. (Foto: Reprodução)

O Reino Unido lançou uma campanha para alertar sobre um golpe que tem feito vítimas entre pessoas que buscam namoro e sexo na internet. A maioria não faz ideia de quem está do outro lado da tela e existem programas de computador que simulam uma pessoa na webcam. E quem cai nessa armadilha está em maus lençóis.

Um homem conta que estava sozinho em casa quando uma garota pediu para ser sua amiga em uma rede social. Naquela mesma noite, começaram a trocar mensagens. Não demorou muito e a menina já sugeria ligar as câmeras. Ela tirou a roupa primeiro; ele, depois. Foi nessa hora que a webcam desligou. Na tela, apareceu um link. Era um vídeo que capturou as cenas de intimidade dos dois. Em seguida a mensagem: “Eu sou um homem. Eu te gravei pelado e hackeei toda a sua lista de contatos. Você só tem uma semana para me mandar o equivalente a 2 mil reais”.

A moça simpática da tela é comandada por botões. Alguém aperta para ela acenar e ela acena, joga beijinho, faz o diabo. E a vida do outro lado vira um inferno. Um crime conhecido no Reino Unido como sextortion (extorsão sexual).

Um especialista em segurança na internet fala que as pessoas procuram ajuda tremendo de medo, convencidas de que a vida acabou. Ele sugere evitar o pânico, não pagar a quantia em hipótese alguma e sair das redes sociais por um tempo. Com sorte, os chantagistas se esquecem de você.

A polícia registrou 300 queixas desse tipo de crime em 2015. Em 2016, foram mais de 900. É preciso ter atenção até com a câmera aparentemente desligada. Há a possibilidade de um hacker ativar o celular e o computador sem que a pessoa saiba. Até o fundador de uma rede social já apareceu em fotos com um adesivo tampando a lente. Afinal todos somos vítimas em potencial.

Comentários