Quarta-feira, 03 de Junho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Mostly Cloudy

Colunistas Audiência: Record deve fechar o mês novamente na frente do SBT

Compartilhe esta notícia:

Produções como “Nos Tempos do Imperador”, próxima das seis, com Mariana Ximenes no elenco, seguem paralisadas. (Foto: João Miguel Jr./TV Globo)

As audiências registradas até agora mostram que em maio teremos uma repetição dos mesmos números de abril.

Portanto, mais uma vez, a Record deverá fechar o mês em segundo lugar no PNT, 24 horas. E com uma diferença ainda maior do SBT, em terceiro.

Nada indica um resultado diferente.

A Record ocupar o segundo lugar nas 24 horas seria um fato absolutamente natural, não tivesse ela a obrigação de exibir a programação da igreja na madrugada, sem registros de audiência em toda essa faixa.

São quatro horas de traço diariamente.

O que nos leva a concluir que, no pau a pau, programação contra programação, a distância entre uma e outra já chega a ser bem significativa.

É o tal negócio, assim como dinheiro, o Ibope também não aceita desaforo.

O SBT está brincando demais com a sua grade de programação. “Triturando” no lugar do “Fofocalizando”, luta-livre não dando certo e “Primeiro Impacto”, além de outros movimentos que só jogam contra o patrimônio.

Um dia a conta ia chegar. E chegou.

TV Tudo

Balão de ensaio

O que acabou de acontecer com o “Primeiro Impacto”, que foi colocado em reprise na hora do almoço e depois de dois dias tirado do ar, em se tratando de SBT não é nenhuma novidade.

Existem zilhões de antecedentes. Um programa da Adriane Galisteu também acabou depois de dois dias. E também teve novela interrompida no meio da sua exibição.

Em cima disso

Com a estratégia de apostar mais em matérias fortes e jornalismo, o “Domingo Espetacular”, revista eletrônica da Record, diminuiu bastante sua diferença para o SBT.

Na média parcial do mês, números de São Paulo, estão praticamente empatados – Record, 8,95; SBT, 8,97.

Forte contribuição

Neste bom momento de audiência da Record, em vários horários colocando-se à frente do SBT, o “Hoje em Dia” tem um lugar de destaque.

Em várias praças, como Porto Alegre, Goiânia e Salvador, não raramente tem ocupado a liderança em seu horário de exibição.

Por acaso

Desde o início da quarentena, ou a partir do instante em que foi necessário alterar as suas características, o “Hoje em Dia” passou a apresentar crescimentos.

O lado jornalístico e a prestação de serviços, com apresentação de César Filho, têm importante participação nisso.

Está difícil

A dramaturgia da Globo prefere não trabalhar com datas para a reabertura dos estúdios e o retorno das gravações.

Por enquanto, isto está sendo impossível.

Produções como “Nos Tempos do Imperador”, próxima das seis, com Mariana Ximenes no elenco, seguem paralisadas.

Problemas

As previsões médicas indicam que, tão cedo, muitos cuidados ainda serão necessários.

Mesmo com a liberação aos poucos, além de outros cuidados, o uso de máscaras será necessário em muitas situações. Um certo distanciamento continuará sendo obrigatório.

No escuro

E, como diante de tal cenário, será possível liberar as gravações de novelas, onde o contato entre as pessoas é sempre muito direto ou próximo?

Vai daí que, por enquanto, nenhuma possibilidade é descartada. Nem mesmo a de entrar com outras reprises depois de “Novo Mundo”, “Totalmente Demais” e “Fina Estampa”.

Mesma coisa

E o mesmo problema da Globo também é o da Record e SBT, no que diz respeito a qualquer planejamento sobre a volta das novelas.

Não está sendo possível pensar em nada agora.

Triunvirato

Ainda não é oficial, mas está bem perto de acontecer: Henrique Collor, da Rede TV!, tem convite do comercial da Band. Se tudo correr como se espera, ele vai ficar com a TV, Sergio Sitchin com as rádios de jornalismo e Rogério Domingues com as rádios musicais.

Todos respondendo para o Cris Moreira.

Pendência

A escalação de Vladimir Brichta em “A Morte Pode Esperar”, do Mauro Wilson, na fila das 19h da Globo, antes dada como certa, não é mais confirmada.

E isso porque ele ainda estará envolvido com as gravações de “Amor de Mãe”.

C´est fini

As coletivas diárias do governador João Doria, de São Paulo, acabaram se transformando num talk show, com direito a chamadas de repórteres e várias participações.

A TV Cultura transmite todas na íntegra, muitas vezes com mais de uma hora de duração. Interessante.

Ficamos assim. Mas amanhã tem mais. Tchau!

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Jair Bolsonaro critica intromissão do STF: “só se eu fosse um rato para entregar o telefone”
Plano racional para o Covid-19
Deixe seu comentário
Pode te interessar