Quinta-feira, 28 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Curiosidades Bolivianos se casam a 6.439 metros de altura

Compartilhe esta notícia:

Jhonny Pacheco e Heydi Paco se casaram no topo da Illimani. (Foto: Reprodução)

O amor está no ar. Ou melhor, nas alturas. Jhonny Pacheco e Heydi Paco se casaram no topo da Illimani, a montanha mais alta da Cordilheira Real, no oeste da Bolívia, e a segunda mais elevada do país sul-americano. O evento também exigiu um pouco de preparação, já que os noivos levaram três dias para escalar o cume.

Saindo da capital da Bolívia, La Paz, vários membros da festa de casamento também foram encarregados de carregar vestidos, enfeites e comida montanha acima para a celebração, o que representou um peso extra de 20kg adicionado às suas mochilas.

Jhonny e Heydi, que moram na cidade de Cochabamba, também tiveram muita sorte com o clima, pois o sol e as temperaturas agradáveis ​​tornaram a cerimônia no topo da montanha ainda mais especial. Os noivos disseram o “sim” a uma altura de nada menos que 6.439 metros acima do nível do mar.

Jhonny usava um capacete de alpinismo e grampos (pontas de aço em seus calçados) enquanto caminhava por um corredor improvisado cercado por buquês de flores. Tudo isso enquanto estava preso ao seu padrinho.

Já a noiva Heydi usava grampos, um longo véu de casamento e carregava um buquê de rosas. Ela foi guiada até o futuro marido por uma corda.

“Eles (os noivos) são esportistas e amantes da natureza, mas também amantes da montanha. É por isso que decidiram fazer os votos de casamento no cume desta montanha. Estamos muito perto do céu e perto de Deus, e que ele os abençoe, do topo da montanha Illimani”, disse Agustín Gonzáles, montanhista e padrinho que celebrou o casamento.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Curiosidades

QR codes vieram para ficar; dúvida é a privacidade
Médico com doença degenerativa rara volta a trabalhar graças à telemedicina
Deixe seu comentário
Pode te interessar