Sábado, 29 de Fevereiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Colunistas Defensoria quer substituir servidores efetivos por cargos de confiança

(Foto: Reprodução)

Em tempos de economia de recursos, um polêmico projeto da Defensoria Pública do Estado, o PL174/2016, que está próximo de ser votado na Assembleia Legislativa, quer transformar 220 vagas do quadro de cargos efetivos – que só poderiam ser admitidos mediante concurso público – por 206 cargos de livre nomeação, os conhecidos CCs (cargos de confiança).

Está em jogo a extinção de 200 vagas para técnicos e de 20 para analistas que, segundo a Defensoria Pública, atingiria apenas postos não preenchidos atualmente. O órgão sustenta ainda que, mesmo se a mudança for consolidada, o índice de servidores de carreira ainda seria de 66%.

Geração de empregos em Erechim

O governador José Ivo Sartori comemora uma boa notícia. Em época de pouca geração de empregos, o Estado está recebendo um investimento de R$ 108 milhões, da empresa Aurora Alimentos, de Chapecó (SC), que se instalou definitivamente na região de Erechim.

A consolidação desse investimento significa que 2.496 empregos serão mantidos (1.345 provindos da unidade de processamento de frangos e 1.151 na de suínos). “É um voto de confiança na força econômica do Rio Grande do Sul e dos homens e mulheres que fazem o Estado”, afirmou José Ivo Sartori.

A filantropia da Emater

Outro tema que vinha causando preocupação, em especial junto aos pequenos produtores rurais, foi encerrada: a polêmica em torno da renovação do Certificado de Filantropia da Ascar/Emater-RS, que mantém a continuidade de políticas públicas para a área rural, beneficiando desde agricultores familiares a pescadores profissionais. Para que se tenha uma ideia da capilaridade da Emater, em 2016, mais de 220 mil famílias foram atendidas pela empresa pública, em todo o Estado.

A morte de um crítico do “Caso Isabella”

Faleceu neste final de semana o médico santa-mariense Paulo Papandreu. Em junho de 2009, ele havia publicado “Isabella”, que apresentava outra explicação para o rumoroso caso da morte da garota: “acidente doméstico”. Papandreu concedeu várias entrevistas à Rádio Pampa, contestando a versão oficial da morte de Isabella.

Segundo ele, a garota caiu sozinha do sexto andar do Edifício London, na Zona Norte de São Paulo. O livro, que exibia uma foto de Isabella, não agradou a mãe da menina, Ana Carolina Oliveira. Ela entrou com uma ação contra as imagens e o conteúdo da publicação. Em outubro, uma decisão judicial proibiu a sua venda e determinou o recolhimento dos 10 mil exemplares. O sepultamento de Paulo Papandreu aconteceu ontem, em Santa Maria.

Os alemães do aeroporto estão chegando

Está prevista para esta segunda-feira a vinda ao Estado dos investidores alemães da Fraport, empresa que venceu a disputa pela concessão do aeroporto Salgado Filho. Na agenda, um encontro com o governador Sartori para o detalhamento do trabalho que será feito no aeroporto internacional.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Alto risco
Começar de novo
Deixe seu comentário
Pode te interessar