Domingo, 28 de novembro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Mostly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Política Em jantar com empresários, Eduardo Leite diz que vai dialogar com a oposição para seguir com reformas

Compartilhe esta notícia:

Decisão de concluir as prévias até o próximo domingo foi tomada em conjunto, o que Eduardo Leite contesta. (Foto: Divulgação/Tasso Jereissati)

O governador do Rio Grande do Sul, Eduardo Leite (PSDB), disse que quer dialogar com a oposição e promover as reformas econômicas em seu primeiro ano de gestão se for eleito presidente da República.

Leite jantou no domingo (17) com empresários e executivos da Faria Lima e deixou uma boa impressão aos convidados. Organizado pelo Esfera Brasil, o encontro reuniu 115 pessoas, entre eles caciques do PSDB, como o senador José Anibal, e também Gilberto Kassab (PSD). A empresária Luiza Trajano e gestores do BTG, XP, Costellation também estiveram presentes.

Em seu discurso, que durou uma hora, Leite disse que é preciso dialogar com todos para pensar o Brasil. Ele falou de sua experiência como gestor do Estado gaúcho e disse que, se eleito, tentará aprovar as reformas logo em seu primeiro ano de gestão.

Leite afirmou que não tentaria a reeleição, caso fosse eleito presidente da República.

Sobre as prévias com João Doria, governador de São Paulo, Leite disse que não tem projeto pessoal e que vai esperar a decisão do partido para saber quem será o nome do partido a disputar a eleição de 2022 pelo PSDB.

De acordo com um executivo de um banco, que preferiu falar sob reserva, Leite discursou como candidato e agradou aos presentes. “Existe uma forte demanda por terceira via. O mercado financeiro está aguardando as prévias do PSDB”, disse.

Para a Faria Lima, segundo essa fonte, se o Doria ganhar as prévias do PSDB, será um balde de água fria para o mercado, uma vez que o governador de São Paulo tem alta rejeição. “O mercado financeiro também não acredita muito no Doria.”

Disputa

Em disputa para conquistar a preferência das lideranças tucanas em São Paulo, os dois principais concorrentes nas prévias que escolherão, em novembro, o candidato do PSDB à Presidência no ano que vem, Eduardo Leite e João Doria, se encontraram com lideranças regionais no Estado no último dia 9. O governador do Rio Grande do Sul promoveu um encontro com lideranças na capital, enquanto o paulista visitou cidades do interior. Nas últimas semanas, Doria e Leite têm intensificado conversas para conquistar votos dos prefeitos paulistas.

Leite se reuniu com um grupo de lideranças políticas da região metropolitana no hotel Novotel Jaraguá, no Centro de São Paulo. No encontro, ele defendeu sua intenção de fazer uma gestão voltada para as “pessoas”, e voltou a defender a “união” contra radicalismos.

O governador gaúcho tenta criar uma frente anti-Doria no Estado, que é o principal colégio eleitoral do partido no País. São Paulo soma 340 votos, entre prefeitos e vices, na eleição interna que definirá quem irá representar o PSDB em 2022 na busca pela presidência da República. O Rio Grande do Sul, por sua vez, conta com 62 votos no pleito.

Ao jornal O Estado de S. Paulo, ele disse que sua candidatura é um resgate às pautas mais tradicionais do partido. “Há um grupo histórico de militantes do PSDB que se incomodam de falar sobre o ‘novo PSDB’, que entendem que não se deve diminuir a importância de um ‘velho PSDB’”, afirmou. As informações são dos jornais Valor Econômico e O Estado de S. Paulo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Política

Procuradoria-Geral da República pede ao Supremo para aprofundar investigação que apura se o senador Renan Calheiros recebeu propina da Odebrecht
Procurador-geral da República diz que “tem tido conversas” sobre a possibilidade de ser indicado ao Supremo
Deixe seu comentário
Pode te interessar