Sexta-feira, 21 de janeiro de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
27°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Armando Burd Faltou um detalhe

Compartilhe esta notícia:

A 24 de dezembro de 1997, o governo federal se tornou proprietário do Banco do Estado de São Paulo. (Foto: Reprodução)

No início deste ano, a promessa era de uma ampla reforma política para estabelecer novos padrões éticos na vida pública. Não passou de uma mini-reforma eleitoral. Porém, já se justificaria se incluísse um documento com a assinatura de cada candidato aos governos estaduais:

“Tenho conhecimento antecipado da situação financeira e não usarei o argumento da surpresa para adiar medidas e soluções.”

Especialistas em desculpas

Governadores que assumem costumam levar debaixo do braço a cartilha para declarar que encontraram o caixa vazio, inviabilizando a gestão.

Exemplo de retidão

Nos 26 anos dedicados à Farsul, Carlos Sperotto demonstrou coragem e determinação. O Rio Grande do Sul deve o crescimento e a afirmação do setor produtivo à sua liderança e persistência.

Sobe e desce

Faltam dois meses para ser aberta a janela partidária, também conhecida como carrossel da felicidade. Políticos terão a chance de fazer trocas, muitas vezes por motivos inconfessáveis. A estimativa é que 15 por cento dos deputados federais vão respirar novos ares.

Diferença

Políticos, que se encontraram ontem em Capão da Canoa, durante conversa compararam o que acontece em dois municípios administrados pelo PSDB.

A prefeita de Pelotas, Paula Mascarenhas, mantém bom relacionamento com a Câmara Municipal e lançará o Código de Convivência, a partir do programa Pacto pela Paz, que tem diminuído a violência urbana.

Em Porto Alegre, ocorre o oposto.

Duas pisadas na bola

Nesta semana, primeiro foi o PSD com Henrique Meirelles. O PSDB repetiu, pondo o candidato Eduardo Leite na vitrine durante os espaços de propaganda partidário em rádio e TV. A lei veda a divulgação pessoal, mas tudo fica como se nada tivesse ocorrido.

Era do aperto

Minas Gerais pagará o 13° salário aos servidores públicos sem pedir dinheiro emprestado. Porém, não cumpre o retorno dos 25 por cento aos municípios. No Rio Grande do Sul, a situação é inversa: as prefeituras recebem em dia e os funcionários dependem de papagaio bancário.

De comum entre dois é que decretaram estado de calamidade financeira no final de 2016 e ainda não saíram.

O impossível acontece

O Ceará é onde as negociações da coligação entre PT e PMDB estão mais adiantadas. Já escolheram o slogan da candidatura do governo: a distância que nos une.

Causa e consequência

No ranking mundial, o Brasil consta como um dos países que mais gasta com a Previdência. O déficit atual tem causa definida. A irresponsabilidade por décadas impediu a criação de um fundo que sustentasse o pagamento das aposentadorias.

Nas alturas

O Jurômetro aproxima-se de 400 bilhões de reais. Valor pago pela União para rolar sua dívida desde 1º de janeiro deste ano. Corresponde a sete vezes a arrecadação anual do governo do Rio Grande do Sul.

Há 30 anos

No final de dezembro de 1987, a Assembleia Legislativa aprovou a rolagem de 56 bilhões e 700 milhões de cruzados (moeda à época) da dívida pública do Rio Grande do Sul. Com novos financiamentos e juros sobre juros, não parou mais de crescer.

Quanto à conta, sabemos quem paga.

Queda do império

A 24 de dezembro de 1997, o governo federal se tornou proprietário do Banco do Estado de São Paulo. O ministro interino da Fazenda, Pedro Parente, anunciou que seria privatizado o mais rápido possível.

A poderosa instituição estava em situação difícil, após gestões que se caracterizaram pela concessão de empréstimos a credores que não devolveram o dinheiro.

Tema do momento

Ainda que não tenham a criatividade e o encanto de outros tempos, deve surgir no próximo carnaval, a Marchinha da Tornozeleira.

Com muita paz

O colunista deseja aos leitores Feliz Natal e Boas Festas.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Armando Burd

Regulação na contramão da evolução
O “saidão” e o indulto de Natal
Deixe seu comentário
Pode te interessar