Terça-feira, 01 de Dezembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Esporte Futuro de Lewis Hamilton ganha importância ainda maior após recorde

Compartilhe esta notícia:

A festa pela 92ª vitória de Lewis Hamilton com a equipe Mercedes e o buldogue inglês Roscoe. (Foto: Reprodução)

O chefe da Mercedes, Toto Wolff, insinuou brincando que terá que vender a fábrica da equipe de Fórmula 1 para manter Lewis Hamilton depois de o britânico conquistar sua 92ª vitória na categoria em Portugal no último domingo, que colocou Hamilton como o recordista em número de vitórias em todos os tempos.

Hamilton estará sem contrato no final do ano, altura em que o piloto de 35 anos provavelmente terá igualado um recorde com a conquista de um sétimo campeonato e estará entre os mais bem-sucedidos da história do esporte.

Ele e Wolff ainda precisam acertar os detalhes de um novo acordo em meio a uma temporada interrompida pela pandemia de Covid-19, mas o tempo urge.

“É imenso. Temos que vender muito inventário. Vender um contrato de arrendamento dos edifícios e simplesmente arranjar o dinheiro”, disse Wolff quando indagado sobre as implicações contratuais do recorde.

A realidade é menos drástica, já que os dois lados querem ficar juntos e estabelecer mais recordes em um esporte que dominam desde o início da era do motor turbo híbrido V6, em 2014.

Se as 91 vitórias de Michael Schumacher chegaram a parecer uma meta impossível, agora é provável que Hamilton vá além de 100, e um oitavo título tampouco pertence ao reino da fantasia.

“Em 10 ou 20 anos, olharemos para trás e realmente reconheceremos que piloto especial ele foi”, disse Wolff.

Já a Mercedes está prestes a se tornar a primeira equipe a conquistar sete títulos sucessivos do Mundial de Construtores.

Novos recordes

Após bater uma marca de que parecia impossível, muitos se perguntam: que recordes restam para o piloto da Mercedes quebrar?

Títulos

O grande recorde que ainda falta a Hamilton, mas que ele deve igualar em breve: o de sete títulos mundiais, hoje pertencente apenas a Michael Schumacher. O hexacampeão completará 36 anos em janeiro e, caso renove contrato com a Mercedes, tem tudo para se tornar o único recordista.

Voltas mais rápidas

Este é um recorde mais difícil para Hamilton quebrar. Afinal, o inglês conseguiu até hoje 52 voltas mais rápidas, enquanto o recordista Schumacher tem 77. O máximo que o piloto da Mercedes conseguiu foi de oito melhores voltas num ano, em 2015, e neste ano, por exemplo, ele teve “só” cinco. Portanto, para bater Schumi, Hamilton teria de disputar algumas temporadas a mais e aumentar sua média nesta estatística.

Número de GPs disputados

Com 35 anos, Lewis Hamilton é o sétimo piloto que mais disputou corridas na F1, com 262. O recordista é Kimi Raikkonen, que ainda está em atividade aos 41 anos, com 325. Com 63 corridas de déficit, o que equivale praticamente ao número de três temporadas, Hamilton teria de estender bastante a sua carreira depois que o finlandês parar de correr para ter chances de quebrar mais essa marca.

Poles consecutivas

Hamilton é o recordista absoluto de pole positions na F1 e está a apenas três da marca centenária. Mas nas poles consecutivas, Lewis por enquanto bateu na trave: até hoje, conseguiu o máximo de sete poles seguidas e está empatado com Michael Schumacher e Alain Prost, enquanto Ayrton Senna, ídolo do inglês, lidera a estatística com oito poles consecutivas. Atualmente, o inglês fez a pole apenas na última corrida, em Portugal, e precisa dar continuidade a essa nova série.

Voltas na liderança

Hamilton tem tudo para quebrar mais este recorde ainda em 2020. O inglês já liderou 4976 voltas na carreira contra 5111 do recordista Michael Schumacher. Só neste ano, o – por enquanto – hexacampeão liderou 490 voltas em 12 corridas, e, com cinco faltando para o fim da temporada, ele teria de liderar “apenas” 136 das 320 voltas restantes para bater a marca.

Hat Tricks”

Por 18 vezes na carreira, Hamilton fez o “Hat Trick”, que, numa tradução livre, podemos chamar de “barba, cabelo e bigode”, ou seja, fazer num mesmo GP a pole position, a volta mais rápida e conquistar a vitória. O recordista na estatística é Michael Schumacher, com 22. Em 2020, já conseguiu por três vezes o “hat trick”, nos GPs da Hungria, Toscana e Portugal.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Esporte

O ministro dos Esportes da Itália voltou a criticar Cristiano Ronaldo por violar protocolos sanitários
Pensando na Copa do Brasil, Inter retoma os treinamentos após empate com o Flamengo
Deixe seu comentário
Pode te interessar