Sábado, 04 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
17°
Fair

Rio Grande do Sul Governador gaúcho detalha as bandeiras do distanciamento controlado. Caxias do Sul, Erechim e Palmeira das Missões retornam à bandeira laranja

Compartilhe esta notícia:

O governador explicou as diferenças do sistema nesta semana.

Foto: Reprodução
Mapa da semana de 29 de junho a 6 de julho. (Foto: Reprodução)

O governador Eduardo Leite divulgou nesta segunda-feira (29) os resultados da revisão do distanciamento controlado e do mapa de bandeiras de restrições no Estado. O mapa de restrições inicial foi anunciado na sexta-feira (26), e seguindo o novo modelo anunciado pelo Piratini, houve espaço para recursos das prefeituras antes do anúncio definitivo nesta segunda. Foram 67 recursos apresentados por municípios e associações. Caxias do Sul, Erechim e Palmeira das Missões retornam à bandeira laranja.

Segundo o governador, as regiões de Santo Ângelo e Passo Fundo seguem na bandeira vermelha, assim como as regiões de Porto Alegre, Canoas, Novo Hamburgo e Capão da Canoa. Os municípios de Ibiaçá, Guarani das Missões e Espumoso não precisarão seguir as restrições de bandeira vermelha de suas regiões por não terem tido mortes ou internações nos últimos 14 dias.

Conforme Leite, as análises são feitas com o máximo de respaldo por números, pela ciência, e também considerando o contexto.

Dos 167 municípios mantidos, após a revisão, na bandeira vermelha, 91 poderão utilizar as restrições da bandeira laranja por não terem tido mortes ou internações nos últimos 14 dias. Assim, as restrições serão aplicadas a 76 deles, desde que os prefeitos usem a prerrogativa de publicar decretos estabelecendo a não aplicação da bandeira vermelha. Antes da revisão eram 301 municípios, excluindo o critério de mortes e hospitalizações eram 186 e no total 115 com restrições.

O governador lembrou a importância dos municípios que estão com maiores restrições que respeitem as normas para que possam permanecer menos tempo sob essas regras, e que, do contrário, elas podem aumentar.

Leite lembrou que não são só os trabalhadores que dependem da atividade econômica que sofrem, pois mesmo os servidores públicos estão subordinados ao Estado que também dependem dessa atividade econômica.

O governador afirmou que o objetivo é evitar o esgotamento da capacidade hospitalar, por mais que estejam sendo feitos investimentos na ampliação.

“Se o vírus se disseminar numa velocidade muito alta, não há estrutura física nem equipes médicas disponíveis para que nós consigamos atender a todos”, disse Leite.

Futebol

O governador Eduardo Leite foi claro ao dizer que o futebol não é uma prioridade. “Não é uma prioridade, neste momento, pois a gente sabe que mesmo com portões fechados, sempre vai gerar algum tipo de aglomerações, com turmas, amigos se reunindo para assistir”, afirmou Leite. O governador acrescentou que nesta semana devem ter retorno sobre os protocolos apresentados pela Federação Gaúcha de Futebol.

Comércio 

Uma novidade para os comerciantes é a possibilidade de comércio eletrônico, que se soma à tele-entrega e ao pegue e leve nas regiões com bandeira vermelha.

Haverá também maior teto de operação nas bandeiras vermelha e preta para o comércio de combustíveis.

Educação

A única mudança na área da educação no momento é que será permitido o estágio final obrigatório para estudantes da área da saúde nas bandeiras vermelha e preta.

Academias

As terão mudança de redação no modo de atendimento, retornando basicamente a como estava na bandeira laranja em Porto Alegre, com atendimento permitido de um aluno a cada 16m².

Lockdown

Segundo Leite, um lockdown nacional representaria impor restrições e sofrimento do ponto de vista econômico desproporcional ao que se está vivenciando em cada uma das regiões.

Reforço hospitalar

Eduardo Leite anunciou que novos equipamentos do governo federal proporcionarão a abertura de novos leitos de UTI adulto. São 140 respiradores novos, que, somados aos demais, chegam a 220. Serão 1,9 mil leitos de UTI em operação (hoje são 1.462).

Balanço e situação das UTIs

O governador fez um balanço dos dados do coronavírus no Estado: são 25.659 casos em 401 municípios e 582 óbitos confirmados. Entre os casos, há 81% de pacientes recuperados.

A taxa de ocupação dos leitos de UTI, no Estado é atualmente de 71,3%, sendo 34,2% destes ocupadas por pacientes confirmados ou suspeitos de coronavírus.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

ONG lança plataforma para alertar os pais sobre os cuidados com os bebês prematuros
Rio Grande do Sul tem 25.659 casos de coronavírus e 582 óbitos
Deixe seu comentário
Pode te interessar