Sexta-feira, 03 de Abril de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Fair

Geral Hackers russos acessam e-mail do presidente Barack Obama, diz jornal

Correspondência invadida do presidente dos EUA, Barack Obama, não era confidencial. Foto: Pete Souza/Casa Branca

Um grupo de hackers russos invadiu parte dos e-mails do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, em outubro do ano passado, informou neste sábado o jornal norte-americano The New York Times, que cita autoridades do país ligadas à investigação do caso. A conta invadida, de acordo com o periódico, faz parte das correspondências não confidenciais do presidente, mas indicam que a brecha de segurança no sistema da Casa Branca foi muito mais ampla e preocupante do que as autoridades norte-americanas admitiram.

Os hackers, que teriam ligação com Moscou, invadiram também o sistema de comunicação não confidencial do Departamento de Estado, mas, conforme o jornal, não conseguiram entrar no servidor que armazena as mensagens trocadas por meio do BlackBerry que Obama carrega com ele.

Os piratas virtuais conseguiram acessar arquivos de e-mail de funcionários da Casa Branca com quem Obama se comunica. A partir daí, explica a publicação, eles obtiveram acesso aos e-mails enviados e recebidos pelo presidente norte-americano.

A Casa Branca disse que nenhuma rede confidencial foi comprometida e que os hackers não conseguiram nenhuma informação secreta. Muitos dos funcionários da Casa Branca, de acordo com o periódico, mantêm dois computadores em seus escritórios – um com uma rede de segurança de alto nível e outro conectado com a rede “normal”, usada para comunicações não confidenciais.

As autoridades ligadas à investigação disseram ao The New York Times temer que mesmo essas mensagens não secretas contêm muitas informações consideradas “altamente sensíveis”, como cronogramas, comunicação diplomática, debates sobre legislação e discussões políticas.

Eles não revelaram ao jornal quantos e-mails de Obama foram lidos pelos hackers ou seu conteúdo. Assessores disseram que a maioria dos relatórios classificados do presidente – como o resumo diário matinal – é recebido em papel ou oralmente, dentro da proteção da Sala Oval.

Mesmo sendo uma invasão menos profunda, a Casa Branca fez questão de manter a brecha de segurança em segredo, destaca o jornal, já que a descoberta foi feita há meses. Fontes do governo norte-americano ouvidas pelo jornal disseram que a invasão foi séria o suficiente para provocar reuniões quase diárias por várias semanas na Casa Branca para debater a brecha e pensar em novos métodos para proteger o rastro eletrônico da comunicação do presidente com o mundo externo.

A descoberta da invasão levou ainda ao fechamento parcial do sistema de e-mail da Casa Branca. Tudo já foi restaurado. Enquanto os hackers chineses são conhecidos por procurar informações comerciais, explica o jornal, os hackers russos costumam atacar alvos políticos e tendem a esconder melhor seu rastro.

Esta não foi a primeira vez que Obama foi vítima de hackers. Durante sua campanha presidencial, em 2008, ele sofreu ataque de piratas virtuais chineses.

Em 2009, ele convenceu o serviço secreto, que faz sua proteção, a liberar o uso de seu BlackBerry e o envio de e-mails. Ele recebeu um smartphone especial, com segurança de alto nível. Procurada, a Casa Branca não quis comentar a brecha de segurança.

Na quinta-feira, o secretário de Defesa, Ashton Carter, revelou pela primeira vez que os hackers russos atacaram o sistema não classificado do Pentágono. Ele afirmou que eles foram identificados. (Folhapress)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Posição do PSDB sobre impeachment será tomada com cautela, diz Aécio.
Cadastramento Ambiental Rural é prorrogado
Deixe seu comentário
Pode te interessar