Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Porto Alegre
Porto Alegre, BR
18°
Partly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Saúde Melhora o humor e combate o colesterol: conheça o fruto que toma espaço de plantações tradicionais na Argentina

Compartilhe esta notícia:

O pistache também possui alto teor de ferro, por isso é recomendado para pessoas com anemia.

Foto: Reprodução
O pistache também possui alto teor de ferro, por isso é recomendado para pessoas com anemia. (Foto: Reprodução)

A tendência já está em cima da mesa. Devido à falta de rentabilidade no mundo da uva, há produtores de vinho que também começam a olhar com outros olhos para uma fruta que parecia muito distante, típica da Ásia, da Europa e dos Estados Unidos. Assim, na terra “do sol e do bom vinho”, há quem brinda para receber o pistache, que cresce continuamente em solo argentino. O país está aderindo à onda “verde”, com a joia seca que continua a ser cada vez mais procurada em todo o mundo, tanto pelo seu notável uso na alta gastronomia como pelas suas qualidades nutricionais e medicinais.

O pistache ajuda a combater o colesterol ou as chamadas “gorduras ruins”. Também possui alto teor de ferro, por isso é recomendado para pessoas com anemia, ou para quem pratica esportes de alta intensidade. Da mesma forma, possui vitaminas E, B2 e B6, que impactam o humor, permitindo lidar melhor com o estresse. O pistache também contém cálcio, magnésio, potássio, fibras e antioxidantes, sendo um grande aliado para controlar o peso corporal e evitar problemas cardíacos.

Embora as vendas para o exterior permaneçam contidas, devido ao efeito de uma crise local, é evidente uma evolução nas áreas cultivadas, devido ao seu poder de adaptabilidade às condições climáticas, embora seja um processo lento em termos de resultados, uma vez que o pé dá seus primeiros frutos em média quatro anos após o plantio, com plena produção somente após 10 anos.

Sem dúvida, é um primeiro passo na província de Mendoza, com notável desenvolvimento nos últimos anos, passando de 323 hectares em 2021 para quase 800 atualmente, o que mostra um aumento de mais de 140% nesse período, tornando-se a terceira jurisdição no país em produção, atrás de San Juan e La Rioja. Outro fato: em 2010, Mendoza tinha apenas 31 hectares.

“O pistache é uma grande aposta em Mendoza, além da realidade atual e das oscilações de preços em todo o mundo. É uma oportunidade de desenvolvimento para os próximos anos, embora o investimento inicial seja importante. Há empresários e até produtores de vinho muito interessados que já seguem este caminho, avançando mesmo em quintas ou vinhas abandonadas. Hoje não é um movimento explosivo, mas é uma opção extremamente promissora”, disse Alfredo Draque, diretor de Agricultura de Mendoza, um dos locais onde este fenômeno incipiente está avançando é a zona oriental, especialmente na comuna de San Martín, e em Luján de Cuyo, mas também no norte local, como a comuna de Lavalle.

O principal “gancho” para quem decide fazer a mudança é que estão ficando para trás as antigas concepções de que a planta, que prefere climas áridos e secos, não se adaptou à realidade meteorológica “hostil” da província, além de sofrer, como outras culturas, o impacto do granizo ou da geada, se não forem tomadas precauções.

“Estamos perante uma mudança de paradigma, até a partir da biotecnologia, estudando as variedades e também utilizando ferramentas técnicas para o seu melhor desempenho, desenvolvendo também mapas climáticos para determinar as melhores áreas para produzir”, disse o responsável, destacando as tarefas que estão sendo desenvolvidas entre produtores, investidores e técnicos em conjunto com a Associação Mendoza Nuts, que desempenha um papel crucial no desenvolvimento e apoio ao setor.

Da mesma forma, as mudanças climáticas, neste caso particular, estão reportando melhores condições para o seu desenvolvimento, já que, por exemplo, as históricas chuvas de fevereiro em Mendoza, que afetam certas plantações, como o pistache, não são mais observadas.

“Existem variações mínimas que acabam trabalhando a nosso favor. Dispomos também de sistemas técnicos de proteção da planta do granizo e da chuva, e de irrigação, como acontece na produção de cereja, que pode ser replicado com pistache”, acrescentou Draque.

tags: Você Viu?

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Saúde

Nesta terça-feira é comemorado o Dia Mundial da Voz, uma data que ganhou importância internacional desde a sua criação no Brasil, em 1999
A ansiedade é inimiga do amor? Algumas atitudes podem salvar a relação
https://www.osul.com.br/melhora-o-humor-e-combate-o-colesterol-conheca-o-fruto-que-toma-espaco-de-plantacoes-tradicionais-na-argentina/ Melhora o humor e combate o colesterol: conheça o fruto que toma espaço de plantações tradicionais na Argentina 2024-04-16
Deixe seu comentário
Pode te interessar