Sexta-feira, 03 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
Fair

Brasil #MeuExAbusivo: entenda a hashtag que subiu nos TT’s do Twitter e reuniu histórias de relacionamentos tóxicos

Compartilhe esta notícia:

A série "You", da Netflix, retratou um relacionamento abusivo, em que a vítima foi espionada, mantida em cativeiro e, por fim, assassinada. (Foto: Reprodução/ Netflix)
Por Gabriella Rocha*

Quem possui uma conta no Twitter, pôde acompanhar que, nos últimos dias, a hashtag #MeuExAbusivo subiu nos assuntos mais comentados do Brasil e, desde então não saiu mais dos destaques da rede. Ela chegou até os Trending Topics (lista de assuntos mais comentados no Brasil) após a youtuber Dora Figueiredo lançar a iniciativa pois, como relatou, “estou recebendo todo dia milhares de relatos e sinto que estou perdendo a oportunidade de falarmos abertamente sobre relacionamentos abusivos”.

A hashtag uniu e encorajou um crescente número de mulheres, homens, gays e lésbicas a compartilharem situações a que foram submetidos por seus ex-companheiros, sendo estas físicas ou psíquicas. Os relatos somaram experiências violentas, traumáticas e agressivas, e apontaram sinais clássicos de comportamentos abusivos e de violência psicológica, considerados crimes e defendidos pela Lei Maria da Penha. Qualquer abuso psicológico, moral, sexual, patrimonial ou físico, causado por parceiros, como também por padrasto/madrasta, sogro/sogra, cunhado/cunhada ou agregados, desde que a vítima seja mulher ou transsexual, é enquadrado e considerado criminoso.

Separamos as histórias mais graves, vividas por pessoas de diferentes gêneros.

Dora Figueiredo deu a partida nas postagens:

https://twitter.com/OhhJuly/status/1156554127742328832

Mas, como identificar um relacionamento abusivo?

A Secretaria de Políticas para Mulher (SPM) lançou uma campanha que educa e apresenta os principais sinais de um relacionamento abusivo, fazendo a diferenciação para as características de uma relação saudável. Entre ontem (29) e hoje (30), apenas no Rio Grande do Sul, duas mulheres, uma de 18 anos e outra de 26, foram assassinadas pelos seus companheiros. Neste primeiro semestre de 2019, em todo o Brasil, mais de 200 casos de feminicídio foram registrados. Fique atenta a estes sinais e, caso identificar algum comportamento perigoso, denuncie.

(Foto: Reprodução/ SPM)

*Estagiária sob supervisão de Marjana Vargas

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Servidores que recebem até R$6.800 têm salário de junho quitado hoje
Ação contra tráfico humano localiza 18 pessoas mantidas em péssimas condições no RS
Deixe seu comentário
Pode te interessar