Domingo, 29 de Março de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
23°
Fair

Mundo Por medo do coronavírus, animais usam máscaras na China

Gato usa máscara improvisada, apesar de não haver evidências de transmissão ou contaminação.

Foto: Reprodução
Gato usa máscara improvisada, apesar de não haver evidências de transmissão ou contaminação. (Foto: Reprodução)

Donos de animais na China têm colocado máscaras para seus pets para protegê-los do coronavírus, embora não hajam evidências de que outras espécies, exceto pela humana, possam contrair a doença. Nas redes sociais, alguns donos compartilharam imagens de seus bichinhos usando máscaras.

Zhou Tianxiao, de uma empresa sediada em Pequim, disse ao tabloide britânico “Daily Mail” que as vendas de máscaras caninas dispararam.

O negócio, antes da epidemia coronavírus, era de venda de máscaras para proteção contra a poluição do ar. Zhou também diz que os dispositivos podem ajudar a impedir que os cães lambam pessoas ou superfícies infectadas.

As máscaras para cães “podem não ser tão profissionais quanto as máscaras médicas feitas para humanos, mas são funcionais”, disse ainda o comerciante.

Posição da OMS

A OMS (Organização Mundial da Saúde) afirma que não está claro se o vírus tem algum impacto na saúde dos animais. “Nenhum evento específico foi relatado em nenhuma espécie”, informa a organização.

A Comissão Nacional de Saúde da China, no entanto, alertou que os donos de animais devem ser cautelosos com os pacientes infectados, segundo o “China Daily”.

“Se os animais de estimação saem e têm contato com uma pessoa infectada, eles têm a chance de se infectar”, afirmou Li Lanjuan, epidemiologista do comitê do NHC para o vírus.

Não há até o momento nada que confirme que um cão ou gato de estimação possa estar infectado com o novo coronavírus. No entanto, isso não significa que não se deva lavar as mãos com água e sabão após tocá-los.

Até mesmo gatos e cachorros de casa, com todos os cuidados, podem portar micro-organismos e bactérias, como E. coli e salmonela, que podem ser transmitidos entre estes animais e humanos.

Apesar da possibilidade do surto do novo coronavírus ter origem em um mercado de animais vivos em Wuhan, na China, a fonte provavelmente foi uma espécie selvagem.

Muitas epidemias deste tipo começam primeiro em animais, como as de gripe aviária, ebola e Sars. O que não quer dizer que animais em geral sejam responsáveis pelo início e contaminação da doença.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

Dia D contra o sarampo atualiza 1.261 cadernetas de vacinação em Porto Alegre
Presidente da Amazon anuncia fundo de US$ 10 bilhões para ONGs, pesquisas e projetos que reduzam aquecimento global
Deixe seu comentário
Pode te interessar