Quinta-feira, 21 de Janeiro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
26°
Mostly Cloudy / Wind

Acontece “Precisamos trabalhar alguns pilares para manter a cidade aberta e o primeiro é a gestão própria da vacina”, diz Manuela à TV Pampa

Compartilhe esta notícia:

A candidata Manuela D’Ávila (PCdoB e PT) participou do programa Pampa Debates desta quarta-feira (25).

Foto: Divulgação
A candidata Manuela D’Ávila (PCdoB e PT) participou do programa Pampa Debates desta quarta-feira (25). (Foto: Divulgação)

A deputada estadual Manuela D’Ávila (PCdoB e PT), da coligação Movimento Muda Porto Alegre, esteve na Rede Pampa de Comunicação, na tarde desta quarta-feira (25), para participar do programa Pampa Debates. Manuela concorre pela terceira vez à prefeitura de Porto Alegre, cargo que disputa com o advogado Sebastião Melo (MDB), da coligação do Estamos Juntos Porto Alegre.

A candidata do PCdoB e PT liderava as pesquisas, com uma margem considerável em relação aos demais concorrentes, no primeiro turno das eleições municipais. Porém, Melo passou a frente e foi o candidato mais votado. Conforme dados do TSE (Tribunal Superior Eleitoral), Melo teve 200.280 votos, 31,01%; Manuela, 187.262, 29% dos votos.

“A última semana de eleições em Porto Alegre teve muitas mudanças, a gente teve uma mudança de postura de um conjunto de candidatos que passaram a me agredir o tempo inteiro na televisão. Basicamente, um time de futebol completo contra uma candidata. E, também, a partir daquela medida judicial de um candidato a vereador do partido do Mourão, quando entraram com a ação e puxaram o tapete do Fortunati. Então eu imaginava que teria uma grande movimentação em decorrência da grande instabilidade”, revelou a jornalista.

Segundo Manuela, o primeiro turno foi marcado por fake news. “Nós derrubamos 529 mil notícias falsas em um dia”. A candidata afirmou que foram divulgados boatos que ela fecharia todas as atividades comercias da capital gaúcha, caso eleita, e que seu adversário, Sebastião Melo, abriria todos os estabelecimentos.

Outro assunto abordado no programa foi a saúde. Conforme a jornalista, não dá para negar que a pandemia ainda existe. Até o momento Porto Alegre registra mais de 52 mil pessoas infectadas com a Covid-19 e mais de 1,4 mil mortes. “Precisamos trabalhar alguns pilares para manter a cidade aberta, e o primeiro é a gestão própria da vacina. Nós precisamos garantir testagem dirigida. A população precisa ser testada”.

Questionada pelo apresentador Paulo Sérgio Pinto sobre o que fazer para colocar Porto Alegre em atividade novamente, a candidata respondeu que vai enviar à Câmara um projeto envolvendo o IPTU e que outro tema será o microcrédito.

“Eu quero enviar para a Câmara um projeto para que o aumento do IPTU comercial, industrial e de serviços não se aplique em 2021. O segundo tema é o microcrédito. Ele pode ter, sim, um grande impacto. Nós estimamos que com R$ 200 milhões ofertados por uma instituição bancária, a partir do fundo garantidor da prefeitura, nós podemos gerar pelo menos 20 mil empregos diretos”, explicou.

Já em relação a mobilidade urbana, Manuela disse que Porto Alegre está bastante degradada em várias áreas. Segundo ela, não se pode tratar a calçada da Salgado Filho como é tratada a calçada de uma rua pequena no bairro de Petrópolis, por exemplo, onde poucas pessoas circulam. “Hoje, as pessoas circulam em primeiro lugar de ônibus; em segundo, a pé. A prefeitura tem que priorizar o que tem mais volume. Nós somos a capital com a tarifa mais cara do País, isso é fruto de uma licitação que foi mal conduzida, queremos retomar a gestão pública. Nós defendemos a constituição de um fundo”.

Outro tema abordado foi dos moradores de rua. De acordo com o levantamento das equipes de abordagem social da Fasc (Fundação de Assistência Social e Cidadania), da prefeitura de Porto Alegre, a Capital possui mais de 2.500 pessoas em situação de rua. As informações são do período de janeiro de 2019 a janeiro deste ano. Indagada pelo apresentador do programa sobre o que fazer para esse número diminuir, Manuela disse que não há como retomar a economia da cidade sem enfrentar diferentes problemas sociais da cidade.

“A gente tem cada vez mais famílias inteiras, que organizam pequenas casas em pequenos vazios da cidade. Muitas crianças que voltaram às sinaleiras. Nós temos um conjunto de ações, em relação às crianças. O nosso programa prevê a renda básica de proteção à infância, uma renda para garantir que as crianças estejam matriculadas na escola. E [para] os moradores, nós queremos ampliar a rede de assistência para que eles possam ser albergados.”

Manuela é graduada em Jornalismo pela Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul. Começou sua carreira política no movimento estudantil e depois ingressou na política partidária. Foi a vereadora mais jovem da história de Porto Alegre, eleita em 2004. Foi eleita deputada federal em 2006 e reeleita em 2010, alcançando recordes de votação. Em novembro de 2017, o PCdoB lançou oficialmente a pré-candidatura de Manuela D’Ávila à Presidência da República na eleição de 2018.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Acontece

Câmara ouve Ministério da Saúde sobre testes de Covid-19 com vencimento em dezembro
Covid-19: Brasil tem 6,16 milhões de casos acumulados e 170 mil mortes
Deixe seu comentário
Pode te interessar