Quinta-feira, 26 de maio de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Fog

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Polícia Quadrilha que aplicou o golpe dos nudes em prefeito gaúcho é alvo de operação da Polícia Civil

Compartilhe esta notícia:

Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Porto Alegre, Gravataí, Charqueadas e Florianópolis

Foto: Polícia Civil/Divulgação
Mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Porto Alegre, Gravataí, Charqueadas e Florianópolis. (Foto: Polícia Civil/Divulgação)

A Polícia Civil gaúcha deflagrou, na manhã desta terça-feira (10), a Operação Branché, que mira uma quadrilha responsável pela aplicação do golpe dos nudes no Rio Grande do Sul e em Santa Catarina.

Seis mandados de busca e apreensão foram cumpridos em Porto Alegre, Gravataí, Charqueadas e Florianópolis (SC). Pelo menos dez pessoas integram o bando, que fez dezenas de vítimas. As ordens de prisão solicitadas pela polícia à Justiça foram indeferidas.

Conforme as investigações, as vítimas preferidas da quadrilha eram homens detentores de cargos públicos, como um prefeito gaúcho que estava sendo extorquido pelos criminosos após a troca de fotos íntimas com uma suposta adolescente. O nome do político não foi divulgado.

“Como parte dos golpes era praticada de dentro de um presídio gaúcho, uma vez que um dos líderes do grupo estaria preso, buscas também foram realizadas em celas”, informou a Polícia Civil.

Como o grupo agia

Os criminosos contatavam as vítimas pelas redes sociais, onde jovens bonitas seduziam os homens e os convenciam a trocar fotos íntimas. Mais tarde, as vítimas eram procuradas por falsos policiais civis, que exigiam dinheiro para não prendê-las ou iniciar um inquérito policial contra elas. O argumento dos golpistas era sempre o mesmo: as meninas seriam menores de idade.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Polícia

ONU diz que há “milhares de mortes” a mais do que a contagem oficial na guerra na Ucrânia
“Péssimos, horrorosos”, diz Hamilton Mourão sobre dados de alerta de desmatamento na Amazônia
Deixe seu comentário
Pode te interessar