Quarta-feira, 29 de maio de 2024

Porto Alegre
Porto Alegre, BR
18°
Partly Cloudy

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Geral Saiba quem são os influenciadores com quase 30 milhões de seguidores que são investigados por associação criminosa

Compartilhe esta notícia:

Influenciadores foram alvo de busca e apreensão por suspeita de crime contra a economia popular e associação criminosa. (Foto: Reprodução)

Três influenciadores digitais, que juntos somam mais de 28 milhões de seguidores nas redes sociais, estavam entre as cinco pessoas alvos de uma operação deflagrada na manhã dessa quarta-feira (17) pela Delegacia do Consumidor (Decon), no Rio de Janeiro. Os agentes cumpriram sete mandados de busca e apreensão na casa dos suspeitos de fazer rifas ilegais pelas redes sociais e lesar seus seguidores, num esquema que já teria movimentado ao menos R$ 15 milhões.

Segundo a polícia, os prêmios nunca eram entregues aos vencedores. Para simular credibilidade, os acusados simulavam entregas de bens valiosos aos próprios comparsas, que eram gravadas e publicados nas redes sociais para que os seguidores acreditassem na farsa. Veja abaixo quem são os influenciadores investigados.

Luiz Guilherme de Souza, o Gui Polêmico, possui 15 milhões de seguidores. Nascido em Itaguaí, no Rio de Janeiro, o “influencer” costuma publicar vídeos engraçados sobre o dia a dia de um casal da periferia. Através de seu perfil na internet, Gui negou as acusações.

Nathanael Cauã Almeida de Souza, o MC Chefin, tem 13,5 milhões de seguidores nas redes sociais. Nascido e criado na Vila Kennedy, em Bangu, Zona Oeste do Rio, se apresenta como rapper, cantor e compositor. Ficou conhecido nacionalmente pela canção “212”, que alcançou o 4° lugar da Billboard Brazil. Em seu perfil no Instagram, ele negou que tenha lesado algum seguidor e disse que a polícia apreendeu seu colar avaliado em para perícia. Após a operação, MC Chefin usou as redes sociais para lamentar a apreensão do cordão. Em um vídeo postado em janeiro, ele aparece usando a mesma joia, que foi apreendida nessa quarta-feira.

No dia 19 de abril de 2022, Chefin, PL Quest, Bielzin e Oruam embarcavam em um voo para Espírito Santo, onde seria realizado um show, mas foram intimados dentro da aeronave por não fazerem usos das máscaras de proteção contra a covid-19. Os artistas se negaram a pôr as máscaras, exceto Chefin, e o mesmo presenciou a expulsão de seus colegas durante o voo, que fez a aeronave retornar para o aeroporto de partida, para entregá-los à Polícia Federal.

Já Samuel Bastos de Almeida, o Almeida do Grau, é o menos famoso dos influenciadores. Possui 440 mil seguidores no Instagram. Ficou conhecido por gravar vídeos empinando motos de luxo e participando de ‘pegas’ em carros que podem valer até R$ 700 mil. Ele também negou as acusações.

Os mandados foram cumpridos nas residências dos investigados, em bairros nobres do Rio de Janeiro, Niterói e São Gonçalo, na Região Metropolitana, e em Magé, na Baixada Fluminense. A ação teve como objetivo identificar outros integrantes do grupo criminoso e coletar provas de outros delitos, como lavagem de dinheiro.

Um desses sorteios, realizados no ano passado, valia um carro e uma moto. Cada tíquete custava R$ 0,35. O apostador tinha de escolher números de 0 a 9.999.999, num total de 10 milhões de combinações possíveis. Em sorteios regulares, baseados na Loteria Federal são utilizados cinco números de 0 a 9, num total de 100 mil combinações possíveis.

De acordo com as investigações, os alvos utilizavam artifícios fraudulentos para manipular sorteios e controlar os resultados. Os lucros milionários são investidos na compra de veículos de luxo e mansões, segundo a polícia.

Os investigados respondem pelos crimes de jogo de azar, crime contra a economia popular e associação criminosa. As informações são do jornal Extra.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Geral

Brasileiro é agredido na Irlanda e relata xenofobia: “Não tive tempo de me defender”
Hospital vai pagar transferência de brasileira que passou 60 dias internada com botulismo em Aspen, mas a família ainda deve R$ 2,5 milhões em internação
https://www.osul.com.br/saiba-quem-sao-os-influenciadores-com-quase-30-milhoes-de-seguidores-que-sao-investigados-por-associacao-criminosa/ Saiba quem são os influenciadores com quase 30 milhões de seguidores que são investigados por associação criminosa 2024-04-17
Deixe seu comentário
Pode te interessar