Quarta-feira, 27 de outubro de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Futebol Trio Neymar, Messi e Mbappé tem atuação apagada, e PSG só empata em estreia na Liga dos Campeões

Compartilhe esta notícia:

A estreia de Lionel Messi, Neymar e Kylian Mbappé na Liga dos Campeões não foi como o esperado. (Foto: Divulgação)

A estreia de Lionel Messi, Neymar e Kylian Mbappé na Liga dos Campeões não foi como o esperado. O elogiado trio não brilhou nem empolgou nos 50 minutos em que atuou junto. Estava tão perdido quanto o próprio Paris Saint-Germain, que iniciou sua campanha rumo ao sonhado título europeu com um decepcionante empate por 1 a 1 com o Club Brugge, nesta quarta-feira (15), na Bélgica.

O jogo disputado no Jan Breydelstadion, na cidade de Bruges, foi aberto, de nível técnico elevado, mas sem o esperado protagonismo do PSG. O time de Paris esteve abaixo da expectativa, criada por investimentos de peso para a temporada, e ainda sofreu com a atuação sólida do bom time belga.

Com o resultado, o PSG perdeu seus primeiros pontos no duro Grupo A, que é liderado pelo Manchester City. O atual vice-campeão da Liga fez 6 a 3 no RB Leipzig, na Inglaterra. E será o próximo adversário da equipe de Paris, no dia 28, no Parque dos Príncipes. Nesta fase, apenas os dois primeiros colocados se classificam para o mata-mata.

Pela primeira vez, o PSG entrou em campo com o trio formado por Messi, Neymar e Mbappé. O brasileiro atuava aberto pela esquerda, enquanto o argentino jogava centralizado, mas mais recuado, e Mbappé completava o ataque, à direita. Os três, contudo, flutuavam no setor ofensivo. Assumindo também a função de armador, Messi era quem mais voltava para iniciar as jogadas.

Além do aguardado trio, o técnico Mauricio Pochettino escalou o volante Wijnaldum e o lateral Hakimi também foram titulares. Das grandes contratações do PSG na última janela de transferências, somente o zagueiro Sergio Ramos e o goleiro Donnarumma não entraram em campo nesta quarta. Di Maria, outro destaque do time, cumpriu suspensão.

Messi, Neymar e Mbappé não brilharam, mas também não decepcionaram no primeiro tempo. Mesmo desentrosados, protagonizaram boas jogadas. Eram lampejos individuais diante da natural falta de conexão entre eles. O francês se sobressaiu. Aos 14, investiu pela esquerda, cruzou rasteiro para trás e Herrera bateu no canto, abrindo o placar.

Messi, por sua vez, era armador e também finalizador. Aos 22, descolou belo passe para Mbappé, que parou no goleiro Mignolet. Seis minutos depois, o argentino carimbou o travessão. Mais apagado, Neymar era quem mais sofria para escapar da forte marcação dos belgas.

O Brugge não queria ser coadjuvante em casa. Com um time bem equilibrado tecnicamente e disciplinado taticamente, os anfitriões não se abalaram com o gol sofrido e não recuaram. Buscaram o empate aos 26. O gol seguiu o mesmo roteiro do primeiro da partida. Sobol avançou pela esquerda e cruzou rasteiro para trás. Hans Vanaken chegou batendo e ainda contou com leve desvio em Kimpembe para mandar para as redes.

Os últimos 15 minutos da etapa foram todos do time da casa. O goleiro Navas precisou trabalhar duas vezes, aos 32 e aos 38, para evitar a virada do Brugge. O jogo na Bélgica era bom, equilibrado e totalmente aberto.

Preocupado com o domínio do Brugge, Pochettino mudou o meio de campo para o segundo tempo. Sacou Wijnaldum e Paredes da equipe e, na sequência, perdeu Mbappé, com dores no pé direito. Icardi passou a compor o setor ofensivo, com Neymar e Messi. As alterações desequilibraram ainda mais o time francês, tanto no meio-campo quanto no ataque.

Se com o trio completo o PSG não assustou na etapa inicial, sem Mbappé a produção ficou menor. O time francês não criou uma chance sequer nos primeiros 20 minutos do segundo tempo. E ainda viu o Brugge ser mais presente no ataque. Mais entrosada, a equipe belga jogava solto e chegava com facilidade.

Num raro lampejo no segundo tempo, Messi quase marcou aos 24, em lance individual. Sem conjunto, o PSG parecia desfigurado. Esboçou pressão nos 10 minutos finais, longe de conseguir superar a atenção e a disciplina tática do Brugge. As informações são do jornal O Estado de S.Paulo.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Futebol

Dezessete clubes pedem em carta para a CBF o adiamento da 21ª rodada do Brasileirão
Rodrygo marca no fim, e Real Madrid vence a Inter em Milão na Champions
Deixe seu comentário
Pode te interessar