Segunda-feira, 26 de Outubro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
22°
Rain

Porto Alegre Bares de Porto Alegre autuados por funcionarem além do horário-limite e permitirem aglomerações

Compartilhe esta notícia:

Estabelecimentos ficam nos bairros Cidade Baixa e Moinhos de Vento. (Foto: Divulgação/SMDE)

Equipes da prefeitura de Porto Alegre já autuaram ao menos sete bares, desde a noite de sexta-feira (18), nos bairros Cidade Baixa e Moinhos de Vento. O motivo foi o descumprimento do decreto municipal nº 20.727, que autoriza os estabelecimentos do ramo a funcionarem das 11h às 23h de segunda-feira a sábado, mas com ingresso de clientes somente até as 22h, dentre outras determinações.

De acordo com a fiscalização, em quatro desses endereços foi flagrada a presença de consumidores no local após o horário permitido. Já os outros três locais registravam aglomeração de pessoas, o que também não é permitido, devido às diretrizes de prevenção ao contágio por coronavírus.

Também foram dispersadas aglomerações em diferentes pontos da capital gaúcha, sendo que em três ocasiões o problema foi constatado na mesma rua (da República) da Cidade Baixa. Considerada informalmente como “a zona mais boêmia da cidade”, o bairro concentra um amplo contingente de pessoas e estabelecimentos como bares, restaurantes, .

Participaram da operação fiscais da Diretoria de Fiscalização da SMDE (Secretaria Municipal de Desenvolvimento Econômico), Guarda Municipal e EPTC (Empresa Pública de Transporte e Circulação), com apoio da BM (Brigada Militar) e Corpo de Bombeiros.

Resultado de demandas do segmento, o decreto nº 20.727 foi publicado pelo Executivo municipal na última quinta-feira (17), em edição-extra do Diário Oficial de Porto Alegre. As regras valem também para as operações noturnas de bares e restaurantes localizados em shoppings centers.

Conforme o texto, as empresas do ramo podem operar de portas abertas e receber seus últimos clientes até às 22h, desde que às 23h os serviços estajam encerrados e sem qualquer cliente dentro de suas dependências.

O Sindha (Sindicato de Hospedagem e Alimentação de Porto Alegre e Região) elogiou a flexibilização, mas ressaltou a necessidade de que os donos dos estabelecimentos e suas respectivas clientelas façam a sua parte, seguindo todos os protocolos de higiene e distanciamento, além de não permitir aglomerações.

“Isso é fundamental para que possamos continuar avançando na retomada dos nossos negócios”, frisou a entidade ao noticiar em primeira-mão o decreto que logo seria assinado pelo prefeito Nelson Marchezan Júnior.

Situação epidemiológica

Até este sábado (19), a SMS (Secretaria Municipal de Saúde) de Porto Alegre registrou um total de 30.783 testes positivos de coronavírus desde março, primeiro mês da pandemia no Rio Grande do Sul. São 94.256 casos negativos e outros 8.324 em análise. Dentre os habitantes da cidade com contágio comprovado, 25.532 pessoas se recuperaram da doença e 923 faleceram.

Os serviços de UTI (Unidade de Terapia Intensiva), por sua vez, atendem no momento 305 pacientes de Covid, incluindo quatro em âmbito de pediatria. Há também 24 casos suspeitos de adultos e outros dois infantis nesse tipo de estrutura.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Porto Alegre

Justiça decreta a falência da Aplub, que acumula mais de R$ 700 milhões em dívidas
Aglomeração é dispersada após confronto com a Brigada Militar na Zona Norte de Porto Alegre
Deixe seu comentário
Pode te interessar