Segunda-feira, 19 de Abril de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
21°
Fair

Mundo Até gorilas já tomam vacina contra o coronavírus em zoológico dos Estados Unidos

Compartilhe esta notícia:

Nove primatas receberam vacinas contra o coronavírus após apresentarem sintomas de contaminação por covid. (Foto: Ken Bohn/San Diego Zoo Global)

O grupo de gorilas estava se movendo mais devagar do que o normal. Então veio a tosse. Os preocupados tratadores do Zoológico de San Diego, na Califórnia, testaram as fezes dos animais no início de janeiro, eles descobriram que oito gorilas tinham testado positivo para a variante californiana do coronavírus.

Um tratador assintomático usando equipamento de proteção, sem saber, expôs os macacos ao vírus, eles descobriram mais tarde. Embora os gorilas tenham se recuperado totalmente semanas depois, as infecções foram um choque de realidade para os especialistas em vida selvagem do zoológico — eles precisavam ter certeza de que seus animais em perigo estavam protegidos.

Na quarta-feira (4), a San Diego Zoo Wildlife Alliance, a organização sem fins lucrativos que administra o zoológico, disse que quatro orangotangos e cinco bonobos já receberam duas doses de uma vacina contra o coronavírus feita especificamente para animais. Eles são os primeiros primatas não humanos a serem vacinados contra o vírus, que comprovadamente infecta vários mamíferos.

“Esta não é a norma. Em minha carreira, não tive acesso a uma vacina experimental tão cedo e nunca tive um desejo tão irresistível de usar uma”, disse à National Geographic Nadine Lamberski, diretora de conservação e saúde da vida selvagem do San Diego Zoo Wildlife Alliance.

O Zoo fez parceria com a Zoetis, uma empresa farmacêutica veterinária, que enviou 27 doses extras da vacina experimental para o zoológico no mês passado, informou o San Diego Union-Tribune. O zoológico decidiu usar essas doses nos macacos, embora eles ainda não tivessem sido testadas para esses animais. O risco valeu a pena, dada a alta vulnerabilidade dos macacos ao vírus, disse o zoológico.

Pascal Gagneux, zoólogo da Universidade da Califórnia em San Diego, disse ao Union-Tribune que o zoológico tomou a decisão certa. “Faz muito sentido. Esses animais são incrivelmente preciosos ”, disse ele. “Há um número pequeno de grandes macacos em cativeiro.”

Os macacos responderam bem às vacinas, disse o zoológico. Entre a tropa que recebeu as doses, segundo a National Geographic, está uma orangotango chamada Karen, que fez história em 1994 como o primeiro macaco a se submeter a uma cirurgia cardíaca aberta.

A Zoetis começou sua pesquisa com vacinas contra o coronavírus para animais em março de 2020, quando um cão em Hong Kong contraiu o vírus, disse a empresa em um comunicado à imprensa. Suas doses funcionam de forma semelhante à vacina criada pela Novavax, que usa proteínas que desencadeiam uma resposta do sistema imunológico. A empresa diz que seus estudos mostraram que a vacina é segura para outros animais, incluindo cães e gatos.

Desde o início da pandemia, os especialistas alertam que a covid-19 pode exterminar espécies ameaçadas de extinção, como chimpanzés, gorilas e outros grandes primatas. Existem menos de 5.000 gorilas remanescentes na natureza, de acordo com a National Geographic.

No ano passado, a União Internacional para a Conservação da Natureza pediu às pessoas que fiquem a pelo menos 10 metros de distância dos grandes macacos na natureza e em zoológicos para evitar a transmissão do coronavírus. Em uma carta publicada na Nature em março de 2020, um grupo de especialistas também pediu aos países com populações de macacos selvagens que reduzissem as pesquisas de campo e encerrassem o turismo de vida selvagem.

Outros animais também contraíram o vírus. Em abril, o zoológico do Bronx disse que quatro tigres e três leões testaram positivo para coronavírus. Na mesma época, dois gatos domésticos em Nova York também testaram positivo. No Paquistão, autoridades disseram no mês passado suspeitar que dois filhotes de tigre branco morreram de covid-19.

Os visons, em particular, tiveram uma alta taxa de infecção. Os cientistas ficaram tão preocupados com a mutação do vírus nos animais da Dinamarca, que é um dos maiores produtores de peles do mundo, que o governo fez planos para sacrificar todos os visons do país.

A Zoetis está conduzindo testes de vacinas no vison, disse a empresa em um comunicado à imprensa. Um porta-voz disse à National Geographic que muitos zoológicos solicitaram doses da vacina para seus grandes macacos. A empresa espera distribuí-los até junho. A Zoetis também compartilhou pesquisas com zoológicos de todo o país e com um zoológico em Praga, onde um gorila e dois leões contraíram o vírus recentemente.

A San Diego Wildlife Alliance disse que espera administrar vacinas a outros animais no Zoológico de San Diego, incluindo a tropa de gorilas no parque de safári e possivelmente grandes felinos no zoológico, Lamberski disse à National Geographic.

A vacina ofereceu um vislumbre de esperança para especialistas em vida selvagem. Mas o trabalho ainda não acabou, Lamberski disse em uma entrevista ao Insider. “Esse grande suspiro de alívio não virá até que toda a nossa comunidade seja vacinada, até que a vacina chegue, você sabe, a comunidades remotas em todo o mundo, a áreas onde os gorilas vivem na selva”, disse ela.

tags: em foco

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

O Japão estenderá o estado de emergência na área de Tóquio até 21 de março
Papa tem encontro histórico com aiatolá e visita local do nascimento de Abraão, pai do judaísmo, cristianismo e islamismo
Deixe seu comentário
Pode te interessar