Segunda-feira, 01 de Março de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
28°
Mostly Cloudy

Colunistas Futuro é do Centrão

Compartilhe esta notícia:

Apesar da crise, alto escalão do Planalto tem mantido aglomerações em eventos públicos. (Foto: Anderson Riedel/PR)

MDB, PSDB, Progressistas, DEM e PSD – os maiores vencedores de prefeituras nesta eleição – vão ditar as coalizões eleitorais da eleição para presidente em 2022, o que vai derrubar o discurso do candidato ‘anti-político’ ou da ‘política diferente’ na campanha. O fisiologismo eleitoral de décadas controlará as articulações e discurso das campanhas do presidente Jair Bolsonaro, que tentará a eleição, e da potencial candidatura do tucano João Dória Jr. O destaque fica para DEM – que venceu em importantes capitais – para a ascensão do PSD – que deve lançar candidato próprio – e para o Progressistas, controlado pelo senador Ciro Nogueira (PI), por ora aliado de Bolsonaro.

Bolsonarismo

O discurso bolsonarista não sucumbiu de vez na urna municipal. Candidatos amparados no perfil do presidente venceram algumas prefeituras. Novatos ascenderam no interior. Destaque para Vitória (ES), com eleição do neófito Delegado Pazolini (Republicanos).

Bolsonarismo 2

A ascensão do delegado federal Eguchi, em Belém, apesar da derrota para o ex-prefeito Edmilson (PSOL), é outro trunfo bolsonarista para 2022. A diferença foi baixa. Em São Gonçalo, 2º maior colégio eleitoral do Estado do Rio, Capitão Nelson (Avante) virou na apuração contra o petista Dimas Gadelha.

Dois líderes

Manoela D’ávila, em Porto Alegre, e Guilherme Boulos, mesmo derrotados em Porto Alegre e São Paulo, saem fortes e despontam como líderes nacionais da esquerda.

Quadro grave

Goiânia entra para a História ao eleger um candidato acamado no hospital, entubado numa UTI, em São Paulo, a mais de mil quilômetros de distância. Maguito Vilela, com Covid-19, nem sabe do resultado e luta pela vida.

Olho no vice

A vitória acachapante de Eduardo Paes (DEM) no Rio de Janeiro o coloca como favorito para governador em 2022. É pule de 10 que Paes entra na disputa para o Palácio daqui a dois anos, e a cidade ficará nas mãos de Valdemar da Costa Neto, o dono do PL (ex-PR). O vice de Paes, Nilton Caldeira, é nome de Costa Neto.

PSB & Centro-direita

Dado curioso veio do Recife. As pesquisas apontavam empate entre Marília Arraes (PT) e João Campos (PSB) – eleito com quase 15 pontos de vantagem. O socialista deve a vitória aos partidos do centro-direita (PSDB, MDB, etc), que se uniram contra a petista.

Na toca

O ano surreal de 2020 será lembrado na política, também, pelo sumiço da ex-presidente Dilma Rousseff, que se refugiou em casa, sem uma mão aliada a puxar-lhe para as ruas.

Não foi hacker

O sucesso da apuração em tempo real do TSE ontem, na totalização e divulgação dos votos, confirma o pioneirismo do Brasil no processo eleitoral. Faltou, todavia, humildade do presidente da Corte, ministro Luís Barroso, em reconhecer o erro do 1º turno no atraso, que nada teve a ver com ataque hacker. Foi a escolha pela centralização da totalização dos votos e os processadores sobrecarregados em Brasília.

Alerta geral

A Associação Brasileira de Shopping Centers soltou nota, à qual a Coluna teve acesso, para associadas diante do crime na morte de João Alberto, no Carrefour. A entidade informa que o “momento exige reflexão”, e alerta que as áreas de convivência são espaços democráticos que atendem a “todos os perfis”, “sem preconceitos de origem, raça, cor, gênero”. Orienta “informar, conscientizar e treinar colaboradores”.

Alerta na sacristia

A Igreja está em alerta com casos de Covid-19 no Santuário de Aparecida (SP). Houve um enterro do segundo padre, que faleceu vítima do vírus, há dias. Outros seis religiosos estão internados em estado grave em hospitais da região.

Cabral

Marco Antônio Cabral, ex-deputado federal filho de Sérgio Cabral, ainda mira críticas ferrenhas à atuação do juiz Marcelo Bretas na nova sentença contra o pai. “Acho impressionante ninguém questionar o que o sr Marcelo Bretas faz com os seus réu. Que pena é essa? O ex-Governador, além de ter sido Deputado, Senador e Governador, hoje COLABORA com a justiça”, lembra o herdeiro político.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Colunistas

Fatos históricos do dia 30 de novembro
Melo: “Não está no nosso radar fechar a economia de Porto Alegre”.
Deixe seu comentário
Pode te interessar