Quarta-feira, 06 de julho de 2022

Porto Alegre
Porto Alegre
19°
Fair

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Rio Grande do Sul Homem que matou ex-namorada a facadas é condenado a 30 anos de prisão no Norte do Estado

Compartilhe esta notícia:

A pena aplicada para Jucelino Gomes, pelo feminicídio de Raquel da Rosa Velasques, foi de 30 anos de reclusão em regime fechado.

Foto: MP-RS/Divulgação
A pena aplicada para Jucelino Gomes, pelo feminicídio de Raquel da Rosa Velasques, foi de 30 anos de reclusão em regime fechado. (Foto: MP-RS/Divulgação)

Um homem acusado de matar a ex-namorada a facadas, na cidade de Erval Grande, no Norte do Estado, em dezembro de 2020, foi condenado nesta segunda-feira(23) pelo Tribunal do Júri da Comarca de São Valentim.

A pena aplicada para Jucelino Gomes, pelo feminicídio de Raquel da Rosa Velasques, foi de 30 anos de reclusão em regime fechado. O julgamento foi presidido pelo juiz Fernando Vieira dos Santos, que manteve a prisão cautelar do acusado, que não poderá recorrer em liberdade.

Crime

No final da manhã de 9 de dezembro de 2020, Raquel da Rosa Velasques retornava do trabalho e, quando chegava em casa, foi atacada na rua por Jucelino Gomes, seu ex-companheiro. Ela foi atingida por 10 golpes de faca e não resistiu aos ferimentos. Na época, Raquel não tinha medidas protetivas vigentes.

De acordo com a denúncia do Ministério Público, Jucelino, que tem antecedentes criminais e havia sido liberado do sistema prisional dias antes do crime, queria impedir que Raquel viesse a relatar às autoridades fatos que tinha conhecimento sobre a sua conduta.

A jovem deixou um filho, na época, com 9 anos de idade.

Júri

Reunido nesta segunda no Foro da Comarca de São Valentim, o Conselho de Sentença não acolheu as teses da defesa do acusado, de negativa de autoria, legítima defesa e homicídio privilegiado. Os sete jurados consideraram que o crime foi praticado por motivo torpe, mediante meio cruel, recurso que dificultou a defesa da vítima, e, por fim, na forma do feminicídio, praticado contra mulher, no âmbito da violência doméstica, já que a vítima era sua ex-companheira.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Rio Grande do Sul alcança 35 mortes por dengue e mais de 28 mil casos
Câmara dos Deputados aprova salário mínimo de R$ 1.212 em 2022; texto segue para o Senado
Deixe seu comentário
Pode te interessar