Segunda-feira, 14 de Junho de 2021

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Fair

Rio Grande do Sul Hospitais gaúchos começam a receber nova remessa do “kit intubação” nesta terça-feira

Compartilhe esta notícia:

Serão beneficiados 43 hospitais que prestam serviço pelo SUS em 39 municípios. Estado já recebeu lotes de outros medicamentos (foto).

Foto: Reprodução
Operação conta com o apoio logístico do Exército no armazenamento e distribuição. (Foto: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini)

Com o apoio do Exército, a Secretaria Estadual da Saúde (SES) começa nesta terça-feira (18) a entrega da mais recente remessa do chamado “kit intubação” aos hospitais públicos do Rio Grande do Sul. São 17.535 sedativos e bloqueadores neuromusculares destinados a pacientes de coronavírus com dificuldades respiratórias. O envio deve ser concluído até quinta.

Serão beneficiados 43 hospitais que prestam serviço pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em 39 municípios. Eles foram escolhidos para receber medicamentos do chamado kit intubação com base em um levantamento semanal dos estoques de 22 itens realizado pela SES na rede hospitalar.

O lote atual é formado por 15 mil ampolas de Cisatracúrio, doadas pela empresa Vale ao Ministério da Saúde, e 300 ampolas de Haldol, 1.585 de Dexmetomedina e 650 de Etomidato, os três últimos adquiridos pela SES.

A responsabilidade pela compra desses medicamentos é das instituições hospitalares, não fazendo parte da rotina da Assistência Farmacêutica do Estado. No entanto, frente à dificuldade de aquisição no país e ao aumento da demanda desde o ano passado, o governo do Estado e o Ministério da Saúde se articularam para comprá-los excepcionalmente no mercado nacional e internacional e distribuí-los às instituições com estoques críticos e que prestam atendimento pelo SUS.

Já foram entregues aos hospitais gaúchos cerca de 600 mil unidades de medicamentos, adquiridos pelo Ministério da Saúde e pelo governo do Estado, desde o início da pandemia.

Os medicamentos serão distribuídos pelo 3º Grupamento Logístico, a partir do 3º Batalhão de Suprimento, em Nova Santa Rita. Desta vez, as cargas serão entregues em pontos focais, onde os hospitais daquela região deverão buscar.

Por exemplo, os medicamentos dos hospitais de Garibaldi, Vacaria, Caxias do Sul e Bento Gonçalves serão todos entregues na Fundação Universidade de Caxias do Sul. Haverá sete rotas distintas, saindo por volta das 7h.

Câmaras de refrigeração

Nesta segunda-feira, foi dada continuidade à entrega das 310 câmaras de refrigeração para 194 municípios. Um caminhão transportando 18 equipamentos chegou à 14ª Coordenadoria Regional de Saúde (CRS), com sede em Santa Rosa, distribuindo a carga para 15 municípios da regional.

Barão de Cotegipe, da 11ª CRS, Santo Ângelo, da 12ª CRS, Venâncio Aires, da 13ª CRS, e Palmeira das Missões, na 15ª CRS, também receberam equipamentos.

Em Palmeira das Missões, participaram da entrega de três câmaras o coordenador da regional, Fernando De Carli, o prefeito Evandro Massing e o vice-prefeito Regis Lorenzoni.

Nos dias 13 e 14, uma série de municípios recebeu os equipamentos. Em Lagoa Vermelha, o coordenador da 6ª CRS, Marcelo Pacheco, entregou duas. Com isso, o município ficou com 100% das Unidades de Saúde com possibilidade de armazenamento de imunizantes e medicamentos.

Em Sananduva, também da 6ª CRS, estiveram presentes para o recebimento o prefeito em exercício, Vermelho Pansera, a secretária da Saúde, Karen Raymundi Fincato, e o secretário do Planejamento e Desenvolvimento Econômico, Rodrigo Getelina.

A primeira remessa foi distribuída em 11 de maio, em ato simbólico em Porto Alegre, que contou com a presença do governador Eduardo Leite e da secretária da Saúde, Arita Bergmann. Naquele dia, foram entregues 52 câmaras frias a 29 municípios da 1ª CRS.

As câmaras frias são destinadas para a conservação de vacinas e medicamentos. Fazem parte da Rede de Frio do Plano Nacional de Imunizações (PNI), que agora, com a substituição das geladeiras domésticas por câmaras de conservação de imunobiológicos, ganha mais qualificação.

Os critérios para a escolha dos municípios foram, além de eles terem menos de 100 mil habitantes, contarem com sala de vacinas e sistema de informação oficial do Ministério da Saúde implantado para registro de vacinados e movimentação de imunobiológicos, além de não estar equipado com câmara refrigerada.

(Marcello Campos)

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Instituída comissão especial do Centenário do Palácio Piratini
Prazos de processos eletrônicos voltam a transcorrer na Justiça gaúcha
Deixe seu comentário
Pode te interessar