Quarta-feira, 05 de Agosto de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
13°
Fog

Brasil Chegam a 72 mil as mortes por coronavírus no Brasil. Os infectados já são quase 2 milhões

Compartilhe esta notícia:

Brasil registra 631 mortes por covid-19 em 24 horas. (Foto: Reprodução)

O Brasil registrou 631 óbitos pelo novo coronavírus em 24 horas, entre o boletim do sábado (11) e o divulgado no domingo (12), segundo atualização diária divulgada pelo Ministério da Saúde. As mortes causadas pelo vírus já somaram 72,1 mil no País.

De acordo com a atualização do ministério, 669.377 pessoas estão em acompanhamento e 1.123.204 se recuperaram. Há ainda 4.063 mortes em investigação. Segundo o Painel Coronavírus, foram registrados 24.831 casos de pessoas diagnosticadas com covid-19 desde ontem. O número de casos confirmados desde o início da pandemia chegou a 1.864.681.

Mais da metade das unidades federativas já atingiu a marca de mil mortes, cada e não há nenhuma com menos de 100 óbitos. Além disso, todos os estados já ultrapassaram 13,1 mil casos, montante superior ao que registra atualmente a Dinamarca (13.147), Quênia (10/105) e Austrália (9.797).

Os Estados com mais mortes são: São Paulo (17.848), Rio de Janeiro (11.415), Ceará (6.868), Pernambuco (5.595) e Pará (5.289). As unidades da Federação com menos óbitos pela pandemia são Mato Grosso do Sul (161), Tocantins (255), Roraima (396), Acre (426) e Santa Catarina (497).

São Paulo também lidera entre os estados com maior número de casos confirmados, com 371.997, seguido por Ceará (136.785), Rio de Janeiro (129.684), Pará (125.714) e Bahia (105.763). As unidades da Federação com menos pessoas infectadas registradas são Mato Grosso do Sul (13.197), Tocantins (15.132), Acre (16.190), Roraima (22.225) e Rondônia (26.728).

Bolsonaro critica ‘pânico’

O presidente Jair Bolsonaro (sem partido) afirmou que o combate à pandemia da covid-19 foi marcado pela “desinformação” e “pânico”. Em publicação em suas redes sociais, intitulada “a hora da verdade”, o presidente também falou sobre a situação econômica do país. “A desinformação foi uma arma largamente utilizada. O pânico foi disseminado fazendo as pessoas acreditarem que só tinham um grave problema para enfrentar”, disse.

A Guarda Municipal do Rio de Janeiro aplicou 44 multas de R$ 107 a pessoas que circularam pelas praias sem máscaras durante a operação “Blitz da Vida” no sábado. A ação, que foi repetida nesse domingo (12), faz uma espécie de “pente-fino” nas praias cariocas para coibir aglomerações e exigir o uso de máscaras. Mesmo com o risco de autuação, muitas pessoas aproveitaram o fim de semana ensolarado para romper o isolamento social, desrespeitando algumas das recentes restrições impostas pelo prefeito Marcelo Crivella (Republicanos-RJ). As equipes realizaram abordagens no calçadão e também retiraram banhistas da areia, uma vez que só estão liberadas atividades físicas individuais nesses locais.

Buscar atendimento imediato

O secretário executivo do Ministério da Saúde, Élcio Franco, diz que pessoas que apresentarem sintomas – mesmo que leves – de infecção por covid-19 devem procurar atendimento médico o mais rapidamente possível.

De acordo com o secretário, a orientação é um ajuste na campanha feita pelo Ministério da Saúde, que recomendava que pacientes leves “ficassem em casa”. “Percebemos que, ao aguardar em casa, muitos chegam ao hospital em situação mais agravada, e evoluem para quadros graves – com necessidade de UTI [unidade de tratamento intensivo] – muito rapidamente. Esta nova diretriz procura evitar mortes relacionadas à doença”, afirmou.

Franco argumentou que há evidências sobre os efeitos positivos da administração de oxigênio durante as fases iniciais da infecção. Segundo ele, o Sistema Único de Saúde (SUS) está preparado para receber todos os pacientes com sintomas leves, e deve reforçar ainda mais o serviço de atenção primária nas próximas semanas.

Print Friendly, PDF & Email

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

O Congresso já tem maioria para derrubar o veto da desoneração, diz consultoria
Deputado Jean Oliveira divulga nota sobre suposta grilagem de unidade de conservação ambiental em Rondônia
Deixe seu comentário
Pode te interessar