Domingo, 26 de maio de 2024

Porto Alegre

CADASTRE-SE E RECEBA NOSSA NEWSLETTER

Receba gratuitamente as principais notícias do dia no seu E-mail ou WhatsApp.
cadastre-se aqui

RECEBA NOSSA NEWSLETTER
GRATUITAMENTE

cadastre-se aqui

Mundo “Parem de dar desculpas”: após ajudar Israel a repelir ataque do Irã, países ocidentais são cobrados pela Ucrânia

Compartilhe esta notícia:

Presidente Volodymyr Zelensky deu indireta em discurso no domingo. (Foto: Reprodução)

Horas depois dos mísseis e drones iranianos serem lançados contra Israel, e serem quase totalmente interceptados pelos sistemas de defesa de Israel e por aliados como EUA e Reino Unido, o presidente da Ucrânia, Volodymyr Zelensky, expressou apoio ao governo israelense e condenou o ataque. Em uma publicação no X (antigo Twitter) e em seu discurso diário, ele disse que “mundo inteiro viu que Israel não estava sozinho nesta defesa”, e que “a ameaça no céu também foi destruída pelos aliados”

Mas nas entrelinhas, o líder ucraniano deixou um recado no ar: para ele, qualquer estratégia de defesa funciona bem quando os aliados empregam todo o potencial disponível.

“E quando a Ucrânia diz aos seus aliados que a unidade proporciona a melhor proteção, eles já conhecem muito bem a eficácia disto. Eles sabem e fornecem. E quando a Ucrânia diz que os aliados não podem fechar os olhos aos mísseis e drones russos, isso significa que devemos agir, e agir com firmeza”, afirmou o presidente.

Foram declarações feitas em um dos momentos mais difíceis para a Ucrânia desde o início da invasão russa, em fevereiro de 2022. Com os aliados ocidentais cada vez menos propensos a fornecer ajuda, devido a questões econômicas ou impasses políticos (como nos EUA), os arsenais do país estão reduzidos, afetando as capacidades de resistência às ofensivas terrestres e, especialmente, aos ataques aéreos russos.

Bombardeios russos

Na última semana, uma série de bombardeios usando drones e mísseis, incluindo o hipersônico Kinzhal, destruiu a principal usina de geração de energia que atende a capital, Kiev, e comandantes afirmam que a frente de resistência Leste está se deteriorando a cada dia. Segundo analistas, os russos devem fazer novas ofensivas nas próximas semanas para apresentar “vitórias”, se aproveitando de um momento de aparente fraqueza.

“O céu não é protegido pela retórica, a produção de mísseis e drones para o terror não é limitada pelo pensamento. E o fato de as sanções contra a Rússia ainda serem contornadas, e o fato de nós, na Ucrânia, esperarmos durante meses por um pacote de apoio vital, o fato de ainda estarmos à espera de uma votação no Congresso, mostra que a autoconfiança dos terroristas também vem crescendo há meses”, disse Zelensky no domingo, se referindo ao impasse sobre a aprovação de um pacote de ajuda militar de US$ 60 bilhões (R$ 310,72 bilhões) pelo Congresso dos EUA.

Redes sociais

O presidente ucraniano usou uma linguagem moderada para expressar uma frustração cada vez mais visível entre os ucranianos, que publicaram comentários pouco diplomáticos nas redes sociais.

“Então interceptar mísseis iranianos sobre a Síria e a Jordânia não é uma ‘provocação’, mas interceptar mísseis que a Rússia manda para a Ucrânia em céus ucranianos — e às vezes da Otan — é [uma provocação]. O Irã, a Síria e a Jordânia estão bem e não reagiram”, disse, no X, a ativista ucraniana Ariana Gic.

Estrategista de conteúdo e autor no site Ukraine Explainers, Stas Olechenko afirma que seu país se sente “abandonado” pelo Ocidente.

“Esta noite, os ucranianos tiveram uma visão clara do que realmente significamos para os EUA. Não somos aliados, nunca fomos. Somos um inconveniente. Uma aberração na sua visão da geopolítica. Um problema que simplesmente não se resolve sozinho. Continuaremos resistindo aconteça o que acontecer, mas isso doeu muito”, escreveu no X.

O economista Roman Sheremeta, professor na Universidade Case Western Reserve (EUA), sugeriu que falta vontade à Otan para adotar uma zona de exclusão aérea sobre a Ucrânia.

“Uma desculpa para os EUA e para a Otan é que derrubar mísseis russos e drones poderia dar início à Terceira Guerra Mundial. Ao contrário, são ações como essas que podem mostrar a ditadores e terroristas que eles podem ser parados.[…] Então parem de dar desculpas e fechem o céu da Ucrânia.”

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Mundo

União Europeia alerta para “aliança do resto do mundo contra o Ocidente”
Gasolina mais cara, juros e fuga de capital: os impactos econômicos do ataque do Irã a Israel
https://www.osul.com.br/parem-de-dar-desculpas-apos-ajudar-israel-a-repelir-ataque-do-ira-paises-ocidentais-sao-cobrados-pela-ucrania/ “Parem de dar desculpas”: após ajudar Israel a repelir ataque do Irã, países ocidentais são cobrados pela Ucrânia 2024-04-15
Deixe seu comentário
Pode te interessar