Segunda-feira, 13 de Julho de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
12°
Mist

Brasil Sobrinho de Lula admite contrato de 2 milhões de dólares com a Odebrecht

Compartilhe esta notícia:

Taiguara Rodrigues dos Santos ganhou contratos de obras após o ex-presidente Lula ter viajado, com dinheiro da Odebrecht, para negociar transações para a empreiteira. (Foto: Lucio Bernardo Junior/Câmara dos Deputados)

O empresário Taiguara Rodrigues dos Santos, sobrinho do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, afirmou à CPI do BNDES (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico e Social) nessa quinta-feira que, ao longo de quatro anos, recebeu de 1,8 milhão a 2 milhões de dólares em contratos firmados com a empreiteira em Angola. Taiguara negou a influência do petista nas obras, mas não convenceu os deputados ao tentar esclarecer como conseguiu firmar parceria com a gigante nacional.

O empresário ganhou contratos de obras após o ex-presidente Lula ter viajado, com dinheiro da Odebrecht, para negociar transações para a empreiteira. O empresário é filho de Jacinto Ribeiro dos Santos, o Lambari, amigo de Lula na juventude e irmão da primeira mulher do ex-presidente, já falecida. Foi na obra de ampliação e modernização da hidrelétrica de Cambambe, em Angola, que o sobrinho de Lula, como é conhecido no meio empresarial, firmou contrato milionário com a Odebrecht. O acerto entre as partes foi formalizado no mesmo ano em que a empreiteira conseguiu no BNDES um financiamento para realizar esse projeto na África. O episódio levou o MP (Ministério Público) a abrir inquérito para investigar a suspeita de tráfico de influência de Lula em benefício da empreiteira. O petista prestou depoimento ao MP nessa quinta-feira para dar explicações sobre o caso.

Aos deputados, Taiguara admitiu outros contratos com a Odebrecht, um de 280 mil dólares, e outro de 750 mil dólares, para a reforma de uma casa em Angola. Questionado pela CPI, Taiguara negou as evidências e disse que o ex-presidente teve influência zero nos negócios. Para ele, a relação que mantém com o ex-presidente e o filho dele, Fábio Luís Lula da Silva, o Lulinha, não interfere em nada, nem positivamente nem negativamente.

O empresário, por outro lado, não conseguiu comprovar as credenciais que lhe aproximariam dos contratos milionários com a Odebrecht, a maior empreiteira da América Latina. Ao detalhar o currículo, Taiguara afirmou ser vendedor desde os 14 anos e negou ter formação acadêmica. “Com o passar dos anos, foram aparecendo oportunidades, como a que me fez chegar aqui, a de trabalhar em Angola”.
“O senhor tinha uma relação de parentesco com o Lula. Esse era o seu capital. É isso que lhe abriu portas”, rebateu o deputado Arnaldo Jordy (PPS-PA).

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Brasil

Dólar alto é o novo vilão das contas de luz. Aumento pode chegar a 9,5%
Sem políticos em Brasília na sexta-feira, oposição adia entrega de pedido de impeachment
Deixe seu comentário
Pode te interessar