Sexta-feira, 18 de Setembro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Fair

Economia Vendas de veículos aceleram no Brasil, mas estacionam no Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

Dados do setor foram divulgados pela Fenabrave/Sincodiv-RS

Foto: Divulgação
Dados do setor foram divulgados pela Fenabrave/Sincodiv-RS. (Foto: Divulgação)

Os dados de emplacamentos de veículos registrados em julho demonstram o descompasso do Rio Grande do Sul em relação à dinâmica de recuperação das vendas do setor no Brasil, materializado na queda de 20% do peso do Estado no mercado nacional na comparação com o mês anterior, reduzindo sua participação de 5,2% para 4,2%.

O resultado é pior em relação às vendas de automóveis, que aumentaram 31,8% no Brasil, graças à reabertura das concessionárias em vários Estados. No mercado gaúcho, as vendas ficaram no mesmo patamar de junho, registrando um incremento de apenas 0,98%, mesmo tendo o mês de julho dois dias úteis a mais.

Tal desempenho é reflexo do fechamento, ao longo do mês, das concessionárias e do comércio do Rio Grande do Sul, de acordo com o setor. Segundo os dados da Fenabrave/Sincodiv-RS, os emplacamentos de veículos zero quilômetro em julho, na comparação com o mês anterior, mostram um crescimento de 18,06% no RS frente a 43,61% em todo o Brasil.

Destaca-se o grande desempenho de vendas das concessionárias de ônibus, 142,11% maior do que as registradas em junho, recuperando assim, em parte, a queda de vendas acumuladas em 2020 quando comparadas a igual período de 2019. O segmento de motocicletas efetivou um volume 70,98 % maior de vendas, fazendo com que o mês de julho apresentasse resultados próximos aos dos meses de janeiro e fevereiro, anteriores ao início da pandemia de coronavírus.

Ao comparar os números gerais de julho de 2020 com julho de 2019, há uma redução de 26,51% nas vendas no RS e de 20,12% em nível nacional. O número acumulado de emplacamentos ao longo de 2020 registra redução de 32,01% no RS e de 33,67% no Brasil em relação ao mesmo período de 2019.

“O impacto das medidas restritivas no mês de julho, com a manutenção das concessionárias fechadas, ainda em vigor, juntamente com a falta de perspectivas sobre quando e de que forma elas poderão retomar a comercialização nas lojas, cria um cenário de incertezas que compromete as vendas do mês de agosto e frustra os esforços das concessionárias para retornarem suas operações, principalmente na Região Metropolitana de Porto Alegre. Debilitando o mercado, que registrou um aumento de 18% nas vendas em julho frente a junho, pelo fato deste mês contar com um número maior de dias úteis, e graças, ainda, ao desempenho de vendas de comerciais leves e motocicletas, segmentos com perfil de vendas corporativas, portanto com menor dependência de atendimento presencial, que alcançaram, respectivamente, incrementos de 55% e de 71%. No momento, nosso trabalho está voltado à tarefa de sensibilizar as autoridades quanto  à insustentabilidade do prolongamento, por mais tempo, das restrições para a reabertura das concessionárias, além da urgente necessidade de retomarmos as atividades diárias em nossas lojas, mesmo com horários limitados de funcionamento. Isto permitirá voltarmos a realizar operações comerciais nos salões de vendas e trabalharmos para tentar recuperar os significativos prejuízos acumulados nos últimos quatro meses em nosso setor” afirmou Paulo Siqueira, presidente da Fenabrave/Sincodiv-RS.

Compartilhe esta notícia:

Voltar Todas de Economia

Brasil gasta com servidores públicos 3,5 vezes mais do que com a saúde
Giro de Conhecimento da UniRitter prossegue até sexta-feira
Deixe seu comentário
Pode te interessar