Terça-feira, 21 de Janeiro de 2020

Porto Alegre
Porto Alegre
25°
Thunderstorm / Wind

Rio Grande do Sul Evento reúne centenas de jovens no campus da Uergs para debates, oficinas e cultura

Os Centros da Juventude (CJs) de Alvorada, Viamão, Lomba do Pinheiro, Rubem Berta, Restinga e Cruzeiro participaram do evento.

Foto: Divulgação/SJCDH
Os Centros da Juventude (CJs) de Alvorada, Viamão, Lomba do Pinheiro, Rubem Berta, Restinga e Cruzeiro participaram do evento. (Foto: Divulgação/SJCDH)

A quarta edição da Social do POD (Programa de Oportunidades e Direitos) reuniu no último sábado (7), no campus da Uergs (Universidade Estadual do Rio Grande do Sul), em Porto Alegre, mais de 300 jovens num ambiente de debate, cultura, arte, conscientização e troca de experiências. Os seis CJs (Centros da Juventude) – Alvorada, Viamão, Lomba do Pinheiro, Rubem Berta, Restinga e Cruzeiro – participaram das atividades.

O evento marca um momento de mudanças e avanços do POD. A partir do primeiro semestre de 2020, o programa contará com cinco prédios novos para a realização das atividades dos CJs. Além disso, três das seis entidades gestoras dos centros foram trocadas em um processo seletivo de readequação de valores e práticas, realizado pela Secretaria de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos com o BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento).

“Queremos levar o programa para os 18 municípios do RS Seguro. Muito da redução nos índices de violência deriva do trabalho de prevenção. Temos exemplos de jovens do POD que estão sendo aprovados no vestibular e conquistando empregos. Eu sempre digo para eles: quando alguém falar que vocês não podem ter um trabalho legal, fazer faculdade ou viver de arte, desconsiderem. Vocês podem tudo, e nós temos de dar oportunidade”, afirmou o secretário de Justiça, Cidadania e Direitos Humanos, Catarina Paladini.

Com a temática “consciência negra”, a quarta Social do POD teve apresentações de teatro, música e dança, rodas de conversa e oficinas. O show de encerramento foi da cantora trans Valéria Houston. As performances trataram da realidade da periferia, dos conflitos envolvendo o tráfico de drogas, da discriminação e do racismo vividos diariamente nas regiões vulneráveis e da necessidade de mudanças sociais profundas.

Voltar Todas de Rio Grande do Sul

Compartilhe esta notícia:

Cenário gaúcho no Ranking de Competitividade dos Estados 2019 é detalhado no Piratini
Ministro autoriza transferência de Geddel para presídio em Salvador
Deixe seu comentário
Pode te interessar