Últimas Notícias > Capa – Magazine > Eduardo Bolsonaro passa final de semana em Bento Gonçalves, na Serra gaúcha

Venda da Refinaria Alberto Pasqualini pode render até US$ 2,5 bilhões

Refinaria Alberto Pasqualini em Canoas. (Foto: EBC)

O governo federal espera obter apenas com a venda da Refap, a Refinaria Alberto Pasqualini em Canoas, até US$ 2,5 bilhões, caso a Petrobras venda todas as ações da estatal federal gaúcha. Caso seja vendido apenas o controle acionário, de 50% mais 1%, o negócio poderá render US$ 1,4 bilhão. A Refap integra um pacote de oito refinarias que serão vendidas.

Negócio concluído só no final do próximo ano.

Esta semana, a diretora da Refino da Petrobras, que esteve em Canoas, reunida com funcionários da Refap, informou que, após a liberação do edital com as informações para a venda no fim de junho, as empresas interessadas nos investimentos terão todos os dados. A previsão é de que o processo não deva ser concluído ainda em 2019, ficando para o fim de 2020 e começo de 2021.

Governo esqueceu fundações?

Ou não têm importância, ou o governo esqueceu delas. O fato é que pelo menos seis fundações gaúchas estão comandadas por interinos há cinco meses,no Rio Grande do Sul, dentre elas a Faders, Fundação de Articulação e Desenvolvimento de Políticas Públicas para Pessoas com Deficiência e com Altas Habilidades no Rio Grande do Sul.

Edição 1000 do Tá na Mesa

A edição 1000, do Tá na Mesa na próxima quarta-feira, dia 29, vai discutir o papel da imprensa na formatação da sociedade. A presidente da Federasul, Simone Leite, será a mediadora com representantes dos principais grupos de comunicação no Rio Grande do Sul. Estarão presentes nesta edição: Paulo Sérgio Pinto (Rede Pampa/AGERT); Danilo Teixeira (SBT-RS); Guilherme Kolling (Jornal do Comércio); Mário Gusmão (Grupo Sinos); Marta Gleich (Grupo RBS); Reinaldo Gilli (Grupo Record RS) e Sérgio Cóssio (Grupo Bandeirantes).

São Paulo veda homenagem a corruptos

Uma iniciativa que poderia ser copiada pelo País afora: o prefeito de São Paulo, Bruno Covas, sancionou uma lei de autoria dos vereadores Rinaldi Digilio e Fernando Holiday que impede que figuradas condenadas por atos de corrupção sejam homenageadas em logradouros públicos.

Redução de ministérios tem valor apenas simbólica

Há uma verdadeira histeria pela redução de ministérios. Mas os números mostram que na prática,isso não muda muito: a redução de 29 para 22 ministérios estabelecida pela MP 870 vai promover uma economia aos cofres públicos de R$ 20 milhões, o que representa menos de 0,01% em relação ao gasto anual com despesa de pessoal de 2018, que foi de R$ 316,7 bilhões, segundo pesquisa do Estadão. Mesmo incluindo o corte de 21 mil cargos, funções e gratificações por meio de decreto, a redução não chega a 1%.

Deixe seu comentário: